Olhar Conceito

Domingo, 05 de dezembro de 2021

Notícias / Saúde e Beleza

constelação

Terapia com bonecos na água busca solucionar conflitos familiares

Da Redação - José Lucas Salvani

30 Mai 2021 - 14:35

Foto: Rogério Florentino/Olhar Direto

Terapia com bonecos na água busca solucionar conflitos familiares
Elga Rascher foi uma das pessoas atingidas diretamente pela pandemia do novo coronavírus. Em maio de 2020, ela foi diagnosticada com covid-19 e optou por buscar terapias alternativas que, segundo ela, trouxeram resultados positivos para ela e sua família. Não demorou muito para que Elga buscasse se aprofundar ainda mais neste segmento e, cerca de dois meses depois, descobriu a constelação familiar, que procura solucionar conflitos pessoais.

Leia também:
Racismo enfrentado pela mulher negra em MT é tema do concurso de redação da Seduc

“Quando cheguei no espaço dele [do terapeuta que a auxiliou com durante a covid-19], vi vários tipos de terapias que não sabia que existiam. Eu fiquei maravilhada e pensei: ‘que interessante essas terapias, vou procurar saber o que é’”, explica ao Olhar Conceito

Este tipo de terapia, que não traz julgamento algum ao constelado, busca entender e solucionar conflitos familiares ou problemas financeiros por meio de sessões em grupo ou individualmente. Os problemas que Elga mais atende são em relação à mãe ou pai, financeiro - às vezes, a pessoa está estagnada financeiramente, e problemas com relacionamentos amorosos.

Em grupo, os participantes representam pessoas envolvidas no problema apresentado pelo paciente e, dependendo do grau do envolvimento, podem espontaneamente replicar comportamentos ou sentimentos. Já individualmente, a representação é feita por meio de bonecos.

No caso de Elga, ela utiliza uma técnica que consiste na utilização de bonecos e pequenos objetos - como casas em miniatura - em e.v.a. que são dispostos sobre a água, flutuando. Conforme os bonecos se movem de acordo com a energia da água, a consteladora consegue fazer interpretações para o constelado.

“A água por si já é uma condutora de energia”, explica. “Na constelação na água, os bonecos que vão fazer o papel do representante. Através do campo morfo-energético da pessoa, eles vão flutuar na água tentando chegar a descobrir o emaranhado pra pessoa, no sistema familiar dela, um conflito ou repetição de padrão que está acontecendo. Os bonecos vão se movimentando na água tentando desvendar”, acrescentar.

A ideia é que o problema seja solucionado em apenas uma sessão, que custa o equivalente a R$ 300, por meio de frases de cura, que são frases sistêmicas que auxiliam nos processos de libertação e solução. A sessão tem em média uma hora e meia.

“É considerado uma terapia breve. Então dessa primeira sessão não precisa repetir o assunto. É até ruim, na verdade, ficar repetindo o mesmo assunto com vários conselheiros porque demonstra que você está tendo uma postura muito racional, não deixando a terapia libertar aos poucos o que ela trabalha na alma. Depois que você faz a primeira sessão, você precisa se observar”.

A pandemia do novo coronavírus foi um dos fatores determinantes para que Elga optasse por investir na constelação pela água. A partir desta técnica, ela pode fazer os atendimentos online, promovendo biossegurança tanto para ela quanto para os seus constelantes. Entretanto, ela afirma que também é possível realizar a sessão de constelação de forma presencial porque algumas pessoas sentem melhor a energia desta forma.

Elga explica que, apesar de já estar trabalhando, segue estudando sobre o assunto e pretende finalizar o curso relacionado às constelações familiares feitas em grupo. “É um universo que eu ainda estou estudando e vou estudar para sempre como qualquer outro tipo de profissão. Tem mais de 40 livros só do Bert Hellinger e livros de outras pessoas que estão vindo aí, que são feras no assunto - tem a esposa dele, a Sophie Hellinger. É um estudo que estou galgando, lendo muita coisa para se aprofundar e quero continuar nesta toada”.

Naquele mesmo ano em que conheceu a constelação familiar, ela estava comandando uma loja online de venda de roupas junto de uma sócia. Ela explica que o negócio estava dando retorno, mas sentiu a necessidade de encerrar para poder se dedicar exclusivamente às constelações familiares.

“Eu quero viver isso. Eu quero viver essa filosofia de vida que é a constelação e eu quero ajudar a outras a enxergar o que estou enxergando. Ajudar outras pessoas a transformar suas vidas. Eu estou transformando a minha”, finaliza.
Entre em nosso grupo de WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Comentários no Facebook

Redes Sociais

Sitevip Internet