Olhar Conceito

Segunda-feira, 22 de julho de 2024

Notícias | Música

na década de 90

Rita Lee queria comprar terreno em Chapada e convidou cuiabana para casamento: 'momento mágico'

Foto: Arquivo Pessoal

Rita Lee queria comprar terreno em Chapada e convidou cuiabana para casamento: 'momento mágico'
Na década de 90, a cantora Rita Lee, que faleceu nessa segunda-feira (8), fez uma passagem rápida por Chapada dos Guimarães (64 km de Cuiabá), que ficou profundamente marcada na memória da produtora cultural Monyca Gheno, de 53 anos. Rita Lee tinha a missão de fazer o show de encerramento do projeto Skol Chapada Limpa, mas antes mergulhou em uma cachoeira na Mata Fria, onde fez orações, pegou pedrinhas pelo caminho e, impressionada com a beleza e energia da cidade, decidiu que queria comprar um terreno perto da casa da irmã de Monyca. 


Leia também
Com convidados, Henrique Maluf faz show especial em comemoração de aniversário de MT

A produtora cultural conta que ficou responsável por levar Rita Lee de Cuiabá, onde estava hospedada no antigo Hotel Eldorado, para Chapada dos Guimarães. Como o pai de Monyca tinha um Ford Versailles quatro portas, ela pediu o carro emprestado para conseguir levar a cantora até o evento. Rita Lee estava acompanhada da irmã, Virginia Lee, que era sua empresária. 

“Lembro que quando vi não sabia quem era a Rita e quem era a Virginia, porque elas eram muito parecidas. Elas entraram no carro e fomos rumo a Chapada dos Guimarães, onde minha irmã morava na época também. Quando pegamos a estrada, o primeiro momento foi silencioso, mas comecei a puxar assunto, perguntei se elas já conheciam a cidade”. 

Monyca lembra que Rita Lee ficou encantada com a paisagem montanhosa na estrada que dá acesso à Chapada dos Guimarães. Em determinado momento, a cantora disse que precisava pegar uma pedra na estrada, já que estava “impressionada” com a energia da cidade. 

“Quando passamos a Salgadeira ela também enlouqueceu, achou lindo, ficou maravilhada. Na época existia a Casa de Pedra e era aberto para entrar. Fomos até lá e ela pegou mais uma pedrinha. Saímos de lá e ela disse que precisava tomar um banho. Nisso a conversa já estava rolando, ela confessou que estava chateada”. 

A produtora cultural conta que Rita Lee confessou estar chateada porque queria se casar com Roberto de Carvalho, com quem ficou casada até falecer. Durante o trajeto, elas ainda pararam na Mata Fria para realizar o desejo da cantora de tomar banho de cachoeira. 

“Ela disse que queria uma queda d’água para molhar a barriga, fazer uma oração. Paramos lá e não tinha ninguém naquele horário, aproveitamos e tomamos banho. Ela tirou o vestido que estava usando para tomar banho. Foi um momento muito bom, espiritualizado e energético. Falei para ela: as águas de Chapada costumam ajudar muito e realizar desejos”. 

Depois de tomar banho de cachoeira, Rita Lee disse para Monyca que estava se sentindo muito bem. No caminho até a cidade, elas ainda pararam em um “boteco” perto da Salgadeira, onde tomaram doses de conhaque na tentativa de espantar o frio. 

“Perguntamos para o dono o que tinha para esquentar, olhamos para as garrafas do cara e tinha um conhaque. Tomamos uma talagada cada uma e acabamos comprando a garrafa do cara. Subimos para Chapada, parando para ela pegar pedrinhas. Sei que chegamos em Chapada dos Guimarães era 17h30. Peguei ela no hotel às 10h. Foi bem divertido”. 

Assim que chegaram em Chapada dos Guimarães, Rita Lee já estava atrasada para o ensaio, que estava marcado para às 17h. No entanto, Monyca lembra que todos estavam alegres. Ela ensaiou com a banda e foi para o hotel onde estava hospedada. 

“Foram momentos muito legais. Ela ficou hospedada no único hotel que tinha em Chapada na época, do lado da praça. Ela começou às 22h em ponto, foi um show fantástico. Foi um dos shows mais lindos que já vi na minha vida. Depois do show terminar ela foi embora para o hotel descansar”. 

No dia seguinte, Monyca foi responsável por buscar Rita Lee no Versailles do pai mais uma vez. Agora, a cantora precisava chegar em Cuiabá para pegar um avião e voltar para casa. No caminho, a produtora cultural decidiu parar na casa da irmã, onde Rita Lee, mais uma vez apaixonada pela cidade, disse que precisava comprar um terreno no local. 

“Minha irmã tinha uma casinha no meio do nada, era um lugar bem afastado mesmo. Sei que quando ela chegou lá, enlouqueceu, começou a falar que queria morar lá. Pediu para ver quem era o dono do terreno do lado, disse que precisava morar lá, que sabia que desciam espaçonaves. Começamos a falar de UFOS e experiências, passamos horas conversando. Almoçamos e descemos para Cuiabá porque ela tinha que ir embora”. 

Quase um mês depois, Monyca recebeu uma ligação de Virginia, com quem tinha trocado telefones por conta do interesse de Rita Lee em comprar um terreno em Chapada dos Guimarães. A cantora entrou na linha, perguntou sobre o tal terreno e fez um convite especial que impressionou a produtora cultural. 

“Me convidou para ir no casamento dela, porque o Roberto tinha pedido. Ela disse que Chapada era milagrosa. Fico até emocionada. Ela disse que queria que eu fosse. Na época não conseguia acreditar que estava acontecendo comigo. Eles fizeram uma cerimônia muito particular, não teve nada de mídia, nem nada. Foi um momento mágico”. 

Por mais algum tempo, o elo entre Rita Lee e Monyca continuou sendo a busca pelo terreno em Chapada dos Guimarães. Em 2012, ela recebeu mais uma ligação da irmã da cantora. Dessa vez convidando a produtora cultural para o show de 50 anos de carreira que encerraria a trajetória de Rita Lee nos palcos. 

“Fui para o show em São Paulo, me receberam com muito carinho. Foram poucos momentos com ela, mas muito intensos”. 

Depois do encontro mágico, Monyca começou a se vestir como Rita Lee para fazer abertura de eventos, por exemplo. A produtora cultural que nasceu no Sul, mas mora em Cuiabá desde 1980, revela que queria ser como a cantora. 

“Via meus irmãos mais velhos curtirem Mutantes, depois ela lançou o próprio álbum. Eu amava a irreverência dela e suas opiniões. Ela queria ser feliz com o rock and roll e com o Roberto de Carvalho, grande amor da vida dela. Rita era um ser de luz muito especial”.
Entre em nossa comunidade do WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Assine nossa conta no YouTube, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet