Olhar Conceito

Quarta-feira, 19 de junho de 2024

Notícias | Saúde e Beleza

PREVENÇÃO AO SUICÍDIO

Cine Teatro abre as portas a grupo de apoio e acolhimento para "salvar vidas"; conheça #Fale

Foto: Ilustração

Cine Teatro abre as portas a grupo de apoio e acolhimento para
Nascido em fevereiro de 2019 com o intuito de auxiliar pessoas que sofrem com depressão, ansiedade, suicídio ou qualquer tipo de transtorno que esteja desestabilizando as emoções, o Grupo de Apoio Terapêutico “#Fale” passa a atender semanalmente durante o mês de setembro, no Cine Teatro Cuiabá, às 19h30. O grupo é inspirado nos Alcoólicos e Narcóticos Anônimos e no trabalho que o Centro de Valorização da Vida (CVV). Segundo Alan Barros, autor do livro “Tenho Depressão. E agora?” e um dos idealizadores do #Fale, juntamente com a psicóloga Flávia Haddad, o grupo não é palestra pontual, mas sim um formato inspirado no AA, aonde as pessoas vão para serem acolhidas e se sentirem pertencidas. As reuniões acontecerão nos dias 06, 13, 20 e 27 de setembro, das 19h30 às 21h30


Leia mais: 
Em alusão ao Setembro Amarelo, projeto voluntário oferece camuflagem gratuita em cicatrizes de automutilação; veja como participar

“Sou um ‘ex’- suicida, que passou 12 anos da vida com pensamentos e tentativas de suicídio, que decidiu transformar essa dor em amor e esperança na vida do outro. Não falamos e nem distinguimos religião. Todo ser humano é muito bem-vindo e será acolhido com muito amor”, explicou.



O grupo funciona como um complemento ao tratamento medicinal, uma ferramenta terapêutica por entender que um lugar acolhedor, sigiloso e, no qual a pessoa se sinta segura para contar sobre as suas dores para outros que passam ou passaram por situações iguais ou parecidas.

Também é realizada uma escuta fraterna, direcionamento amoroso e empático, com objetivo de acolher e, justamente, reforçar a importância dos tratamentos com psicólogos e psiquiatras.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), 90% dos casos de suicídio podem ser evitados e um dos principais meios de prevenção é o diálogo.

As tendências apontam a falta de interesse em atividades simples, isolamento ou ainda a melhora repentina – como um alívio, que pode indicar que a pessoa já está decidida a atentar contra a própria vida. Esses sinais devem ser levados a sério.

“A partir do momento em que o participante adentra o espaço do grupo, ele deixa lá fora todo o julgamento e autojulgamento que possui, todas as histórias são abraçadas com amor e empatia. Também não importa a causa aparente, dor é dor. Sempre pedimos para que as pessoas não olhem para a dor alheia e subestime a sua própria. Não importa se você está em luto porque terminou um relacionamento e o colega do lado está em luto porque perdeu um filho. A dor que você está sentindo é a que vamos acolher, sem julgamentos”, salientou Alan.

Além de dirigir o Grupo de Apoio #Fale, Barros é um ativista importante no Setembro Amarelo e nas causas sobre Suicídio, é também embaixador nacional da campanha Janeiro Branco e atua profissionalmente ministrando palestras e capacitações em Prevenção e Posvenção do Suicídio.



No mês de setembro acontece a campanha de conscientização sobre o suicídio: Setembro Amarelo. Segundo a OMS, no Brasil, os registros se aproximam de 14 mil casos por ano, ou seja, em média 38 pessoas cometem suicídio por dia. Por isso, é tão importante que as iniciativas de sensibilização do suicídio aconteçam o ano todo.

Serviço
O que:  Grupo de Apoio e Acolhimento Terapêutico #Fale
Quando: 06, 13, 20 e 27 de setembro
Horário: 19h30 às 21h30
Mais Informações: (65) 2129-3848
Entre em nossa comunidade do WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Assine nossa conta no YouTube, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet