Olhar Conceito

Terça-feira, 09 de agosto de 2022

Notícias | Política Cultural

VEJA VÍDEO

Artista de Várzea Grande conquista terceiro lugar em festival nacional de dança em Brasília

Foto: Arquivo Pessoal

Artista de Várzea Grande conquista terceiro lugar em festival nacional de dança em Brasília
Conhecido no Break como Kuririn, o várzea-grandense e integrante do grupo de dança E.D.R Crew, Anderson Almeida, de 26 anos, conquistou o terceiro lugar no Festival “Quando as Ruas Chamam” que aconteceu em Brasília nos dias 17 e 19 de junho. Praticante da nova modalidade olímpica há um ano e meio, Anderson tem síndrome de down e percebeu melhoria em sua vida após a prática da dança.

Leia mais: 
Incentivo ao esporte: Projeto OlimpusMT tem orçamento triplicado em 2022

O professor de Kuririn, Adilson Valério, explicou ao Olhar Conceito que “Ele pratica a um ano e meio e, de lá pra cá, está tendo melhoria em questão de saúde melhoria no sono perca de peso e convívio social”.

 
Além disso, contou à reportagem que seu aluno vem se destacando pelo seu desempenho no Break, representando o município de VG em competições dentro e fora do estado. Essa foi a primeira vez que Kuririn saiu de MT para dançar.



 
Adilson é professor de dança e representa a cultura Hip Hop por meio da mais nova modalidade olímpica, o Break – que foi escolhido para figurar no programa de esportes olímpicos de París 2024 como um novo esporte, ao lado do skate, surfe e escalada.

 
Para ele, o Break impacta a vida das pessoas de forma positiva quando realça as capacidades dos praticantes. Por exemplo, para um dançarino da modalidade conseguir fazer um Headspin (giro de cabeça), é necessário muito treino e determinação.
 
Além disso, explicou que a dança não tem distinção de gênero, classe e cor e que “leva a bandeira da inclusão social mostrando que as pessoas com deficiência também têm voz e vez”, como é o caso de Kuririn. “Por enquanto o Kuririn é meu primeiro aluno, mas tenho a intenção de expandir esse projeto para que chegue a mais pessoas com deficiência”, acrescentou.
 
Atualmente Adilson é integrante e diretor do grupo de dança E.D.R Crew, e também fundador de projeto que ainda está em fase de construção “Não sou diferente, eu faço a diferença”, que tem a missão de incluir e dar voz as pessoas com deficiência por meio da dança. Valério ministra aulas e treinos no centro comunitário do Asa Bela, em Várzea Grande e também dá aulas particulares. Basta entrar em contato via Instagram, Facebook ou pelos números 993381771 - 993491228.
 
O Festival Nacional Quando as Ruas Chamam é um dos maiores e mais importantes festivais de dança de rua do Brasil e em 2022 chega em sua 6ª edição. Nas edições anteriores o projeto teve grande repercussão, inclusive internacionalmente, sendo premiado como melhor evento no Prêmio de Breaking Latino Americano em 2015 e 2016.
Entre em nosso grupo de WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet