Olhar Conceito

Terça-feira, 15 de outubro de 2019

Notícias / Literatura

Aos 76, expoente das artes plásticas Humberto Espíndola lança livro de poesia em Cuiabá

Da Redação - Isabela Mercuri

19 Set 2019 - 17:01

Foto: Marcos Leonardo e Alexis Prappa

Aos 76, expoente das artes plásticas Humberto Espíndola lança livro de poesia em Cuiabá
Depois de queimar 320 poemas e jogar as cinzas no rio Cuiabá, como um ‘ritual de passagem’ ao decidir pelas artes plásticas, Humberto Espíndola, criador e difusor do tema bovinocultura, premiado em todo o mundo, vem a Cuiabá no próximo dia 24 de setembro, terça-feira, para lançar seu livro de poesias ‘Pintura e Verso’. O lançamento acontece junto à abertura da exposição homônima no Museu de Arte e de Cultura Popular da UFMT, a partir das 19 horas.

Leia também:
Único brasileiro medalhista de Bolshoi traz espetáculo para Cuiabá e seleciona bailarinos locais
 
Humberto é campo-grandense, nascido em 1943, e cria e desenvolve o tema Bovinocultura desde 1967. O artista tem uma posição histórica no capítulo da descentralização da arte brasileira e é citado na principal bibliografia de referência - Arte e artistas plásticos no Brasil 2000 (Ed. Metalivros) – em uma seleção dos 100 principais artistas plásticos brasileiros vivos - e na ‘BrazilianArt III (UC Editora, 2002)’, entre 42 artistas.

Em ‘Pintura e Verso’, ele conta que, entre os 14 e os 18 anos, escreveu as primeiras poesias. Chegou a cursar jornalismo e a fazer parte dos principais movimentos lítero-teatrais da época. Mas, ao assistir as aulas de história da arte do professor Barontini, apaixonou-se pela pintura.
 
No livro, Espíndola ainda revela que, ao retornar a Mato Grosso, queimou mais de 320 poemas e pediu à sua irmã, Tetê Espíndola, que jogasse as cinzas no rio Cuiabá, quando decidiu se dedicar às artes plásticas.
 
Nos seus mais de 50 anos de trajetória artística, flertou com a composição musical, a interpretação, a performance, a direção de espetáculos e a produção literária, incluindo aí a poesia.
 
Os poemas do novo livro foram escritos a partir de 2011, quando Marcio Markendorf, professor doutor na área de literatura, escritor e ensaísta, lhe apresentou o Twitter. O artista reconheceu na ferramenta um grande potencial para a literatura, e, por meio dela, aconteceu um ‘grande encontro’. Como resultado, 77 obras acompanham 109 poemas.
 
Para Marcio Markendof, “Pintura e verso” figura como um trabalho comemorativo dos 50 anos de bovinocultura, oferecendo ao leitor outro produto criativo derivado da exploração estética da figura bovina – a escrita literária. E acrescenta: “Inspirado pelos ideais do muralismo mexicano, Humberto Espíndola produziu um tipo singular de arte na abordagem de um elemento-símbolo da cultura de Mato Grosso e Mato Grosso do Sul”. Encerra a sua apresentação destacando: “o conjunto de relações evocadas até agora justifica este trabalho único na literatura brasileira e nas artes visuais, concebido como projeto verbo-visual para os fins comemorativos da arte cinquentenária da bovinocultura. O encontro da pintura e da poesia, no jogo da reinvenção artística, por fim, pede a reescrita do aforismo inicial: ‘Como na pintura, o poema-boi’”.
 
A editora do livro Maria Teresa Carrión Carracedo, destaca que a atualidade, a enorme carga simbólica e a força da obra de Espíndola surpreende com frequência: “Mergulhados em uma grande polêmica internacional em relação às trágicas queimadas e ao desmatamento criminoso na Amazônia, eis que o artista nos oferece em seu livro a obra ‘Devastação da Amazônia’, um óleo sobre tela de 1980 (130 x 170 cm), magnífico e icônico, pertencente ao acervo do Museu de Arte e de Cultura Popular da UFMT – o mesmo museu que ajudou a fundar na década de 1970, com a crítica de arte e animadora cultural Aline Figueiredo. E para a obra, Espíndola escreve o seguinte poema: ‘Ah esse Nortão / do mato grosso e misterioso... / Verde ainda te quero / Via sacra de quadros dolorosos / Madeiro de cruzes / e oxigênios derramados’. É impossível ficar indiferente a uma obra ou a um poema de Espíndola”.

“Penso, qual plástica ajunto a essa literatura? Na verdade, apenas cenário desse teatro existencial onde a síntese poética versus a imagem é a razão do mistério simbólico. A intuição é sempre salvadora. Este é o resultado que lhes entrego”, completa Espíndola.
 
Serviço
 
Noite de autógrafos e lançamento do livro “Pintura e verso”, de Humberto Espíndola. (Edição de luxo, limitada)
Onde: no Museu de Arte e de Cultura Popular da UFMT, em Cuiabá
Quando: 24 de setembro (terça-feira), às 19h
Valor do investimento: R$ 120

1 comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Conceito. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Conceito poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Maria Helena Brancher
    20 Set 2019 às 05:17

    Querido Humberto, parabéns por mais essa revelação artistica. Voce sempre nos surpreendendo. Te amo Pols

Redes Sociais

Sitevip Internet