Olhar Conceito

Domingo, 15 de dezembro de 2019

Notícias / Leandro Freire - Nutricionista

Disbiose: isso pode estar atrapalhando seus objetivos de emagrecimento

Leandro Freire

18 Out 2018 - 17:20

Foto: Reprodução

Disbiose: isso pode estar atrapalhando seus objetivos de emagrecimento
Sabe-se há mais de três décadas que o corpo humano contém dez vezes mais células microbianas do que células humanas estes microorganismos colonizam praticamente toda a superfície do nosso corpo que está exposto ao meio ambiente externo, incluindo a pele, cavidade oral, respiratória, urogenital e gastrointestinal. Destes locais do corpo, o intestino é, de longe, o órgão mais densamente colonizado. A grande e complexa comunidade de microrganismos que residem ou passam através do intestino é referido como a microbiota intestinal. A microbiota intestinal desempenha vários processos metabólicas  imunológicos ,antimicrobianos e várias outras funções fisiológicas, psicológicas e principalmente nutricionais no nosso corpo,pois é no  intestino é  que ocorre a digestão e a absorção dos nutrientes que são essenciais para o funcionamento normal do nosso organismo e para a produção de energia. Ou seja, num intestino não saudável, pouco importa o que você está comendo ou tomando (suplemento), se não está havendo absorção correta desses nutrientes.

Leia também:
Whey Protein: além da hipertrofia muscular

Um intestino não saudável, acarreta em desequilíbrio na flora intestinal(Bácterias) que é denominada Disbiose.

Quais são os sintomas da Disbiose?

Sensação de que tudo que você come provoca gases, de induz a sensação de inchaço, desconforto abdominal aumenta a incidência de flatulência, oscilação entre diarreia e constipação, provoca sensações esporádicas de enjoos, diminuição  da absorção de nutrientes , diminuição da resposta imunológica e novos estudos ligam a disbiose a obesidade e risco de diabetes tipo II
  
Mas o qual a causa da Disbiose?

Maus hábitos alimentares é um dos principais fatores responsáveis pelos desequilíbrios da flora intestinal. O consumo excessivo de alimentos industrializados, álcool, excesso de gordura, alimentos refinados,  aliados à uma baixo consumo de frutas, verduras e fibras. O uso prolongado de fármacos como p antibióticos, antiinflamatórios e corticóides também desequilibram a flora intestinal, além disso temos o fator stress, que causa desequilíbrios no Ph intestinal.

Quem diagnostica e qual o tratamento?

O diagnóstico é feito pelo médico gastroenterologista, e o tratamento dependendo do estado é feito com uso de antibióticos específicos seguido de uma reeducação nutricional feita por um Nutricionista capacitado, onde será feita a prescrição de suplementação de FRUTOOLIGOSSACARÍDEOS, que tem o efeito prebióticos para estimular o crescimento de Probióticos ou a prescrição de cepas específicas de lactobacillus para o equibrio da flora intestinal.

Contudo é sempre muito importante investigar a origem dos desequilíbrios que o organismo apresenta, e muitos deles começam no seu intestino. A descoberta precoce e o tratamento correto pode ser a chave na solução de inúmeros outros problemas que você nem imaginou ter relação com este órgão, incluindo a sua energia e performance e a tão sonhada mudança de composição corporal.

*Dr. Leandro Freire Santana
Nutricionista Esportivo
CRN/1 8331
 

Referências

Ahmed S, Macfarlane GT, Fite A, McBain AJ, Gilbert P, Macfarlane S (2007) Mucosa associado diversidade bacteriana em relação ao íleo terminal humana e amostras de biópsia de cólon. Appl Environ Microbiol 73 (22): 7435-7442
CARREIRO, Denise Madi.  O ecossistema intestinal na saúde e na doença. São Paulo: Vida e Consciência, 2014.
Andoh A, Sakata S, Koizumi Y, Mitsuyama K, Fujiyama Y, Benno Y (2007) fragmento de restrição análise de polimorfismo de comprimento Terminal da diversidade da microbiota fecal em pacientes com colite ulcerativa. Inflamm Bowel Dis 13 (8): 955-962
Andoh A, Tsujikawa T, Sasaki M, Mitsuyama K, Suzuki Y, Matsui T, Matsumoto T, Benno Y, Fujiyama Y (2008) perfil microbiota fecal de doença de Crohn determinado pelo terminal de polimorfismo de comprimento de fragmentos de restrição (t-RFLP). Aliment Pharmacol Ther 29: 75-82
Armougom F, Henry M, Vialettes B, Raccah D, Raoult D (2009) Monitorização da comunidade bacteriana da microbiota intestinal humana revela um aumento de Lactobacillus em pacientes obesos e Methanogens em pacientes anoréxicos. PLoS One 4 (9): e7125
ALMEIDA, Luciana B. et al. Disbiose Intestinal. Revista Brasileira de Nutrição Clínica, Belo Horizonte, v.24, n.1, p. 58-65, Dez. 2008.
Adlerberth I, Wold AE (2009) Estabelecimento da microbiota intestinal em crianças ocidentais. Acta Paediatr 98 (2): 229-238
SPEZIA, Gabriela et al. Microbiota intestinal e sua relação com a obesidade. Revista Brasileira de Obesidade, Nutrição e Emagrecimento, São Paulo, v.3, n.15, p.260-267, maio/jun. 2009.

3 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Conceito. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Conceito poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

Redes Sociais

Sitevip Internet