Olhar Conceito

Quinta-feira, 26 de novembro de 2020

Notícias / Comportamento

TJ autoriza que elefanta que vivia acorrentada em SP seja transferida a Santuário de Chapada

Da Redação - Isabela Mercuri

01 Set 2020 - 15:45

Foto: Prefeitura de Ribeirão Preto

TJ autoriza que elefanta que vivia acorrentada em SP seja transferida a Santuário de Chapada
Após o Tribunal de Justiça de São Paulo autorizar a transferência da elefanta Bambi, que atualmente vive em um zoológico em Ribeirão Preto, interior de SP, para o Santuário de Chapada dos Guimarães (70km de Cuiabá), a Organização Não Governamental (Ong) criou uma campanha de financiamento coletivo para pagar os custos da viagem (veja como doar AQUI).

Leia também:
Santuário de Chapada receberá três elefantas africanas nos próximos seis meses
 
Bambi foi explorada por muitos anos pelo circo Stankowich. Em 2009, ela foi encontrada em um local em Limeira com uma pata acorrentada e cercada por cercas elétricas. Foi transferida para um zoológico de Leme, e depois, em 2014, para Ribeirão Preto.
 
Ainda em 2013, os idealizadores do Santuário foram visitá-la, e os funcionários do zoológico de Leme chegaram a perguntar se os ativistas não poderiam levá-la embora, mas o Santuário ainda não existia.
 
Em Ribeirão, Bambi vivia no mesmo espaço que outra elefanta, Mayson, mas as duas não se davam bem e, por isso, tiveram que ser separadas em dois recintos de 750 metros cada. A autorização para transferência da elefanta para Mato Grosso veio no último dia 18 de agosto de 2020.
 
A viagem levará de 30 a 36 horas (1270 quilômetros). Para isso, o Santuário precisa arrecadar recursos para cobrir as despesas com os motoristas, aluguel de caminhão para transporte da caixa, guindastes para o zoológico e o Santuário, transporte da equipe de tratadores do Santuário e alimentação da elefanta no trajeto.
 
A elefanta de 58 anos de idade. “Passaram-se sete anos e, incertos das razões que causaram um forte declínio em sua condição física, estamos nos preparando para eventuais sérios problemas de saúde. Mesmo que isso seja verdadeiro, esperamos melhoras em sua saúde.  Sua idade pressupõe cuidados para o resto da vida, sendo crucial que priorizemos todo o conforto possível por todo o tempo que viver”, afirmam os idealizadores da Ong.

A ação do Tribunal de Justiça atende a um pedido do Fórum Nacional de Proteção e Defesa Animal em Ação Civil Pública movida contra a Prefeitura de Ribeirão Preto e a Secretaria de Infraestrutura e Meio Ambiente do Estado de São Paulo. O pedido havia sido negado em primeira instância e foi concedido em segunda.

Santuário

Localizado no distrito de Rio da Casca, município de Chapada dos Guimarães, a 110 km de Cuiabá, capital de Mato Grosso, o Santuário tem área de 1,1 mil hectares. A vegetação é típica de Cerrado.

Sua implantação e funcionamento contam com apoio de duas instituições internacionais dedicadas a elefantes. A Global Sanctuary for Elephants (GSE) dá suporte à implantação de santuários e treinamento para tratadores. A ElephantVoices pesquisa comportamento de elefantes na natureza.

Toda a manutenção do projeto vem de doações e a colaboração pode ser feita de diversas maneiras e com qualquer valor. Para ajudar, acesse o LINK.

Outras habitantes

Maia e Guida foram as duas primeiras elefantas residentes do Santuário de Elefantes Brasil (SEB), que chegaram em 2016. Em junho de 2019, no entanto Guida faleceu. A terceira a chegar foi Rana, que desde 2012 vivia em um hotel fazenda próximo a Aracaju, em Sergipe, mas já viajou por todo o mundo com o circo. A chilena Ramba desembarcou em Chapada no último dia 18 de outubro e, em novembro de 2019, foi a vez de Lady, vinda de João Pessoa.

Comentários no Facebook

Redes Sociais

Sitevip Internet