Olhar Conceito

Terça-feira, 20 de outubro de 2020

Notícias / Gastronomia

Com 34 anos de história em Chapada, família goiana começa entrega de pamonhas em Cuiabá

Da Redação - Isabela Mercuri

25 Jul 2020 - 07:45

Foto: Reprodução

Com 34 anos de história em Chapada, família goiana começa entrega de pamonhas em Cuiabá
Quem chega ou vai embora de Chapada dos Guimarães já sabe: tem parada obrigatória na Pamonharia Empório do Milho. Comandada por uma família goiana que está no ramo há 34 anos, a empresa que nasceu no Portão do Inferno se reinventou em meio à pandemia e agora faz entregas em Cuiabá e Várzea Grande.

Leia também:
Dentista muda de profissão em meio à pandemia e decide se dedicar às ‘pipocas gourmet’
 
Gleicy Criscieli Mota, filha da matriarca Tereza Mota, tem quase a mesma idade da empresa. Ela conta que quem deu a ideia de abrir uma pamonharia foi seu pai, policial militar, que enxergou uma oportunidade no ponto turístico que era, na época, o Portão do Inferno.
 
“Minha mãe começou no Portão do Inferno em 87, e ficou lá por 24 anos”, lembra. A pamonharia teve que ser fechada quando aconteceu o remanejamento de todos os estabelecimentos que ficavam no local. “Lá nós estávamos em ponto turístico, e o movimento era ótimo. Quando saímos, abrimos na entrada da cidade e o movimento continuou o mesmo. Ali percebemos que era por causa da qualidade”, comemora Gleicy.
 
Há dez anos neste novo ponto, o Empório cresceu, e passou a vender, além de pamonhas e outros quitutes feitos de milho, mais de 700 produtos diferentes, como arroz doce, empadas, pão de queijo, quase 200 tipos de doces diferentes de Minas Gerais e Goiás, queijos, salames, defumados, conservas de pimentas, geleias, biscoitos caseiros, dentre outros.
 
“Os nossos produtos são feitos todos os dias, são frescos. Não trabalhamos com congelados. Temos a pamonha congelada, mas só se o cliente optar por ela”, explica Gleicy. “São puros, não tem adicional de farinha, nada pra que renda a massa... a gente preza muito pela higiene, cuida desses detalhes. É tudo feito de forma artesanal e a gente preza muito por isso”.
 
Desde o início da pandemia do novo coronavírus, a família viu o número de clientes diminuir, porque as pessoas deixaram de ir para Chapada. Além disso, os decretos municipais determinam se eles podem ou não ficar abertos, e, por isso, Gleicy decidiu atender os clientes de Cuiabá e Várzea Grande com as entregas.
 
“Dia 30 de abril eu fiz a primeira entrega em Cuiabá. Comecei a postar no Insta que teria, e foi um sucesso”, comemora. Os produtos são entregues uma vez por semana, e além da pamonha o cliente também pode pedir outros quitutes do empório, sob encomenda. A taxa de é de R$10.

Para saber qual dia haverá as entregas, basta acessar o INSTAGRAM do Empório, ou entrar em contato via WhatsApp, no (65) 99355-6559.

Comentários no Facebook

Redes Sociais

Sitevip Internet