Olhar Conceito

Quarta-feira, 12 de agosto de 2020

Notícias / Cinema

Cine Teatro exibe filmes de Amauri Tangará a partir de terça-feira

Da Redação - Isabela Mercuri

06 Abr 2020 - 14:12

Foto: Divulgação

Filme 'Pobre é quem não tem jipe

Filme 'Pobre é quem não tem jipe"

A ‘Edição Especial da Temporada de Filmes do Cine Teatro Cuiabá’ continua esta semana com cinco produções do cineasta Amauri Tangará. Nesta terça-feira (7) serão exibidos  os curtas “Pobre é quem não tem jipe” (1997, 24’), “Horizontem” (2008, 15’) e “Paraíso” (2012, 15’), e os longas “A oitava cor do arco-íris” (2004, 80’) e “Ao sul de setembro” (2005, 80’), a partir das 19h30.

Leia também:
Atriz cuiabana divide cena com ganhador do Oscar em série ‘Mr. Robot’

Amauri Tangará & Tati Mendes são realizadores do campo das artes cênicas e do audiovisual.  Juntos, fundaram a Cia d’Artes do Brasil, empresa de produção, difusão e apresentação de espetáculos teatrais, oficinas, workshops e palestras na área de artes cênicas/ teatro e de produção, difusão e exibição na área de cinema. Sediada em Chapada dos Guimarães, a Cia d’Artes do Brasil tem em seu currículo mais de 20 anos de trabalho prestado a essas duas áreas, com atuações e trabalhos reconhecidos internacionalmente.

De acordo com a assessoria, a Temporada de Filmes Edição Especial integra a Programação Cultural Online da Quarentena do Cine Teatro Cuiabá, que semanalmente compartilha, pela internet, conteúdos culturais diversos, com atrações diárias. Para acessar os filmes e saber mais sobre o restante da programação, acesse facebook.com/cineteatrocuiaba. A intenção é substituir a programação presencial, cancelada em atenção às medidas de contenção e prevenção à COVID-19.

Veja a sinopse dos filmes:

“Pobre é quem não tem jipe” (Amauri Tangará, 1997, 24’, classificação indicativa livre)

Apresenta a história de um menino que sonhava em conhecer o outro lado dos horizontes. O filme teve carreira vigorosa em mostras e festivais de cinema, incluindo o Festival de Brasília do Cinema Brasileiro (onde recebeu o prêmio de Diretor Revelação e o Prêmio ANDI para a Infância e Adolescência), a Jornada de Cinema da Bahia (onde recebeu o Troféu Jangada de Ouro) e o Festival Guarnicê do Maranhão (onde foi eleito melhor filme pelo público, além de receber prêmios de direção e roteiro). “Pobre é quem não tem jipe” também foi indicado pelo Kinoforum - Festival Internacional de Curtas-metragens de São Paulo - como um dos 10 melhores filmes da década de 1990 exibidos no Festival.
 
“A oitava cor do arco-íris’ (Amauri Tangará, 2004, 80’, classificação indicativa livre)


Apresenta a história do garoto Joãozinho que, com o objetivo de comprar remédios para a avó que está muito doente, decide vender os pertences que tem, incluindo a cabra de estimação, Mocinha. Nas redondezas de onde mora ninguém possui dinheiro e isso faz com que, para atingir seus objetivos, Joãozinho decida viajar até a capital, onde irá se deparar com muitas novidades e perigos.

“Ao sul de setembro” (Amauri Tangará, 2005, 80’, classificação indicativa 12 anos)

A jornalista Clara é convidada por um amigo a escrever o roteiro de um filme. Para isso, ela se encontra com o velho garimpeiro Geraldo (Agostinho Bizinoto), um aficcionado por cinema. Geraldo conta a Clara a história de um poeta que viveu na zona rural de Chapada dos Guimarães e que durante muitos anos esperou por sua amada à beira de uma estrada com um poema e um buquê de flores, sem jamais perder a esperança de um dia revê-la. O filme é protagonizado por Renato Teixeira, que também participou da construção da trilha sonora do longa.

“Horizontem” (Amauri Tangará, 2008, 15’, classificação indicativa 12 anos)

Apresenta o cenário do Cerrado de Chapada dos Guimarães, a Meca do Ecoturismo, invadido pela ambição de produzir cada vez mais, criando paisagens lunares onde habitam personagens esquecidos. Uma alegoria sobre o futuro iminente.

“Paraizoo” (Amauri Tangará, 2012, 15’, classificação indicativa 12 anos)

Um ser misterioso observa a luta de pássaros mutantes para escaparem de um inferno de beleza e veneno. Uma alegoria a um futuro nada distante, no Cerrado de Chapada dos Guimarães.
 
Serviço
 
Edição Especial da Temporada de Filmes do Cine Teatro Cuiabá, com difusão online de curtas e longas de Amauri Tangará.  
Quando: A partir das 19h30 de terça-feira, 07 de abril de 2020.
Onde: facebook.com/cineteatrocuiaba
Classificação indicativa: a ser consultada
Mais informações pelo email: pautacineteatrocuiaba@gmail.com

3 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Conceito. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Conceito poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Elias de Arruda Neves
    07 Abr 2020 às 14:50

    Tenho em VHS o filme "pobre é quem não tem jipe". Amauri Tangará, excepcional!

  • Jacson
    07 Abr 2020 às 08:29

    Amauri Tangará, de longe, o melhor cineasta mato-grossense.

  • Telma Morada do Ouro
    06 Abr 2020 às 15:21

    Se eu assistir um filme desses, prefiro coronavirus.

Redes Sociais

Sitevip Internet