Olhar Conceito

Terça-feira, 07 de abril de 2020

Notícias / Música

Karola Nunes lança novo videoclipe e traz à tona discussão sobre gênero e diversidade

da Redação - Isabela Mercuri

16 Fev 2020 - 11:37

Foto: Fred Gustavos

Karola Nunes lança novo videoclipe e traz à tona discussão sobre gênero e diversidade
A cantora Karola Nunes lança na próxima quinta-feira (20), no bar-bistrô Metade Cheio, seu mais novo trabalho, o videoclipe da música ‘Tá vendo seu moço?’. Com participação de mais de vinte pessoas na produção, o projeto fez questão de ter diversidade e de trazer à tona a causa negra e LGBTQIAP+.

Leia também:
Ex-sertanejo, mato-grossense se tornou DJ e se dedica à música eletrônica

A música tem harmonia inspirada na canção "Parazula", de Celso Machado, e a letra, segundo Karola, é “uma tentativa de diálogo entre duas partes que nunca acontece, o que poderia ser um diálogo é sempre um monólogo pela recusa de escutar o que o outro tem pra dizer”.

A ideia do videoclipe, na realidade, surgiu do diretor Pedro Brites. “Pedro me convidou para gravar o clipe de outra faixa do CD, mas a ideia inicial precisaria de uma produção muito grande, então sugeri essa música, porque eu já tinha uma vaga ideia visual pra ela”, contou Karola ao Olhar Conceito.

Pedro já havia trabalhado com ela na produção do álbum ‘Somos Som’, e a cantora admirava seu projeto fotográfico ‘Soturno’, com retratos produzidos à noite com iluminação colorida e modelos com diferentes padrões de corpos e gênero. “Desde que participei do processo de gravação do álbum (2018) a gente vem falando sobre um possível videoclipe, então venho amadurecendo essa ideia há mais de um ano”, contou o diretor.

Logo após a primeira conversa, a diretora Juliana Segóvia entrou na conversa. Parceira de Karola desde o grupo de teatro ‘In-Próprio Coletivo’, ela também participou de diversos outros projetos, e foi lembrada quando a música do clipe foi escolhida. “Essa era uma canção que ela já tinha me dito que gostaria de gravar, e essa junção foi essencial pro resultado final”, comemora Karola.

Tá vendo seu moço?

O videoclipe traz referências de artistas nacionais como Criolo, Filipe Catto, Linn da Quebrada e clipes do diretor Felipe Sassi, além de artistas internacionais, como Janelle Monae e Beyoncé. “A gente mira alto”, brinca Pedro.

“O processo criativo funcionou de maneira fluida, as ideias iniciais de roteiro, ainda que muito interessantes, não eram compatíveis com nossa realidade de alcance financeiro de produção, foi então que Karola sugeriu uma referência de videoclipe de dança do músico Felipe Catto. A partir dessa ideia, Pedro pensou o roteiro diante de suas referências fotográficas e narrativas, sempre questionando eu e Karola sobre o que achávamos”, contou Segóvia.

O objetivo era gravar tudo em uma diária, para conter os gastos. A produção toda, no entanto, levou cerca de sete meses. O roteiro foi moldado na dança, e, por isso, foi convidado Filipe Breno para a direção de coreografia. “Como a equipe, além de colaborativa, foi pensada de maneira política, refletindo o cenário artístico cuiabano em se tratando de representatividade e protagonismo em todas as funções, convidamos Lupita Amorim e Geovane Rodrigues para integrar o corpo de dança, entre outros profissionais que fazem parte dessa perspectiva de discussão e que possuem relevância e reconhecimento na cidade. A equipe é extremante diversificada em se tratando dos recortes das “minorias””, completa a diretora. Para que tudo saísse como o planejado, a equipe foi ainda subdividida em núcleos. “Somos uma equipe de 20 pessoas. Eu convidei um a um conforme o projeto foi crescendo e alcançando objetivos mais ousados. Cada pessoa foi convidada não só por eu conhecer pessoalmente e já nutrir um afeto por ela, mas sim por sua competência, profissionalismo e vontade de expressar suas ideias por meio de seus trabalhos. Todos toparam de cara o convite, mesmo que sem verba, primeiro por ter a chance de trabalhar junto a Karola Nunes e segundo pela música que escolhemos para gravar, ‘Tá vendo Seu moço?’ tem uma letra que todos se identificam, diz sobre suas escolhas, vontades e afinidade política”, completa Pedro.

“Esse é um trabalho realizado inteiramente de forma coletiva e comprometida. Comprometida com a causa artística local; com a causa dos marginalizados pela sociedade; com a causa dos artistas sufocados por um sistema tão surdo. Estamos vivendo momentos tão sombrios para a arte e a cultura, onde existe uma ordem direta do presidente do país para que não haja incentivo público ou privado para obras com a temática LGBTQI+ que decidimos escancarar na cara da sociedade a capacidade dessa comunidade de existir, resistir e produzir. Eles querem negar nossa existência mas nós estamos aqui, sobrevivendo e fazendo arte com entrega, amor e mensagem”, finaliza Karola.

Assista à prévia do videoclipe:



Serviço

Lançamento do videoclipe ‘Tá vendo seu moço?’
Local: Metade Cheio - R. Cmte. Costa, 381 - Centro Norte, Cuiabá
Data: Quinta-feira, 20 de fevereiro

Ficha técnica do clipe:

Direção: Juliana Segóvia e Pedro Brites
Roteiro: Pedro Brites
Direção de Fotografia: Rosano Mauro Jr.
Assistente de Câmera: Marcelo Sant'Anna
Assistente de Iluminação e Efeitos Cênicos: Karina Figueredo
Gaffer: Jean Carlos 'Batata'
Montagem: Juliana Segóvia e Pedro Brites
Color e Finalização: Marcelo Sant'Anna
Produção Executiva: Larissa Sossai
Direção de Produção: Luiza Raquel
Produção: Isabela Sanders
Direção de Arte: Amanda Nery Figueiredo e Fred Gustavos
Direção de Coreografia: Filipe Breno Vinhas
Dançarines: Filipe Breno Vinhas, Geovane Rodrigues e Lupita Amorim
Styling: Eduardo Solano, Einstein Halking e Hugo Alberto
Beleza: Álison Rangel 
Still: Fred Gustavos
Making of: Júlia Muxfeldt
Ilustrações: Hugo Alberto

17 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Conceito. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Conceito poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Juliana
    18 Fev 2020 às 21:24

    Coisa linda e potente! E segue o baile da resistência!

  • Hélio Taques
    18 Fev 2020 às 17:43

    Linda a matéria e tenho certeza de que o trabalho está perfeito. Tantos profissionais talentosos. A crítica maligna e de total desconhecimento sobre a arte e o trabalho de Karola só revela a doença cultural de muitos e o mundo da ignorância no qual vivem. Que seja bem vindo este trabalho Karola !

  • wagner
    17 Fev 2020 às 12:57

    Mas como tem porcaria em cuiaba...a locooo.

  • alberto
    17 Fev 2020 às 12:40

    auto-flagelação facial para chocar como se bom o fosse! ao contrário me parece que querem afrontar para serem rebatidos e depois virem com vitimismo...esse negócio de genero é outra coisa também: homem e mulher....gênero para os lgbtsss e etc....não pagaria nem me disporia nem de graça para assistir a um evento organizado por esses cidadãos e cidadãs...

  • Pedro Brites
    17 Fev 2020 às 12:33

    A gente precisa de ver cada vez mais representantes da comunidade LGBT como Karola Nunes atingindo o sucesso. Seu talento e suas composições são extraordinárias. Parabéns, Karola, pelo seu trabalho e por inspirar a todos nós. AMO!

  • Laura
    17 Fev 2020 às 10:48

    As fotos já revelam uma fotografia linda. Fiquei bastante intrigada com a produção e fiquei em choque com os comentários que antes mesmo de ver o videoclipe já são tão odiosos e cheios de medo. O que não é mais do mesmo demora pra ser compreendido. Antecipo parabéns ao trabalho.

  • Mirian Mirtes
    17 Fev 2020 às 10:11

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

  • DEIXEM AS CRIANÇAS FORA DISSO!
    17 Fev 2020 às 10:09

    Na boa, só existe gênero masculino, feminino ou comum de 02 gêneros. Não há estudo científico que comprova esta IDEOLOGIA, isto é CONSTRUÇÃO SOCIAL ou identidade social. Seja o que quiserem, só não apoiem isso pra crianças, fatalmente se arrependerão qdo tiverem maturidade!

  • MG3 MACHINE
    17 Fev 2020 às 10:03

    RI-DI-CU-LO

  • Gean
    17 Fev 2020 às 09:53

    Mais um trabalho tocante de artistas cuiabanos, feito por gente talentosa, mesmo com poucos recursos. Ansiosa pelo resultado <3

Redes Sociais

Sitevip Internet