Olhar Conceito

Segunda-feira, 24 de fevereiro de 2020

Notícias / Comportamento

Servidora participa de corridas com animal de estimação: “eu precisava de uma companhia"

Da Redação - José Lucas Salvani

19 Jan 2020 - 09:31

Foto: Instagram

Servidora participa de corridas com animal de estimação: “eu precisava de uma companhia
A servidora pública Lara Santana participou da  Corrida de Reis com sua cachorra, Lili, pela primeira vez, na edição deste ano, realizada no último domingo (12). Em entrevista ao Olhar Conceito, ela conta que “precisava de companhia para correr”, visto que não conseguia encontrar amigos que topassem fazer o exercício físico com ela.

Leia mais:
Participantes da Corrida de Reis relatam problemas e pessoas passando mal; veja vídeo

“Olha, eu precisava de uma companhia para correr. Na verdade, eu sempre chamo as pessoas. Depois que perdi minha outra cadela, eu já queria uma, porque gosto muito de cachorro, mas pensei assim: eu preciso de uma que goste de ir comigo”, conta. A primeira cachorra de Lara era “preguiçosa”, mas com Lili é bem diferente: “ela que me puxa e dita o ritmo”.

Ela explica que desde o último domingo não corre porque queimou muito do sol, mas Lili fica sempre atiçada a sair e correr. Lara tem o hábito de correr e passou a levar Lili com ela. Quase todos os dias ela tenta sair com o animal de estimação. “Todo dia eu tento ir pelo menos uma meia horinha”.

“Eu falo que ela precisa mais de endorfina do que eu. Eu vou direto e comecei a ir com ela nas provas também. Agora que ela já está um pouquinho maior, já completou um ano. Eu pensei: ah, ela aguenta. [No total], já fiz 15 km com ela, o máximo. Estou sempre indo. Ela aguenta. Ela gosta e não fica ofegante”, relata sobre as corridas. A Corrida de Reis foi a primeira que Lara levou Lili.

A cadela entrou em sua vida há pouco mais de um ano, entre setembro e outubro de 2018, quando a cachorra de um conhecido deu filhotes e ela pegou um para cuidar. Em entrevista, ela explica que sempre gostou de animais. Lara confessa que só não tem mais animais porque o local onde mora não comporta. Além de Lili, ela tem oito gatos. 

Sete anos correndo

Lara corre desde 2012 e começou por não estar em boa forma. “Comecei em 2012, na Corrida de Reis, porque estava acima do peso. Fui na corrida porque, na época, eu acho que eram 10 mil participantes e pensei: (...) ‘pelo menos em penúltimo eu chego’. Então me apaixonei. Eu comecei e não parei mais. Desde 2012 tento ir em todas as corridas”, conta.

Naquele mesmo ano, ela fez sua primeira meia maratona, o equivalente a 21 km. A participação em uma maratona completa, 42 km, veio apenas em 2018. “É muita terapia. É quando eu saio para cansar o corpo e descansar a mente”, explica.

Dois anos após iniciar suas participações em corridas, Lara sofreu um acidente de moto a caminho de um treino. Na época, ela sofreu um traumatismo craniano e conseguiu se recuperar melhor por conta das atividades físicas, segundo um de seus médicos. O episódio marcou a vida de Lara e foi fundamental para que ela seguisse firme nos esportes.

13 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Conceito. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Conceito poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Orlando
    20 Jan 2020 às 07:50

    Corre pelo menos a noite, para não judiar das patas do seu animal, que não possui tênis, como nós humanos. Lembre que se ele se cansar, não consegue te falar. Hidrate o animal e pause para que ele descanse. Lembre que para um passo seu, são vários de um cachorro.

  • Ju
    20 Jan 2020 às 00:29

    Vi na corrida de reis e achei um pecado... calor absurdo e a cachorra lá pisando naquele chão quente

  • Marcio Benedito de moraes
    19 Jan 2020 às 20:23

    só falto a melancia no pescoço

  • K9
    19 Jan 2020 às 19:46

    Rau au au rau. Que no linguajar cachorrês quer dizer: "me chama pra correr catita e juntos quebraremos recordes e mais recordes"

  • Janinha Gusmão
    19 Jan 2020 às 19:19

    Judiação com o cachorro.

  • Wiliam Gomes
    19 Jan 2020 às 18:21

    Pobre animal com uma dona dessa, que deve ser gente boa, mas é demais de desinformada, não é? Quem disse que o animal aguenta correr deste jeito num Sol escaldante como esse de Cuiabá? Por cima ainda tem a irresponsabilidade dos organizadores que permitem este tipo de coisa, e ainda usam dinheiro público para fazer esta corrida da TVCA.

  • José Eduardo
    19 Jan 2020 às 14:45

    Que frescura, cachorro no meio de um.monte de gente, atrapalhando, ela correr sozinha com o cachorro é uma coisa, outra é levar no meio da multidão e atrapalhar outras pessoas.

  • Soraya G Medeiros
    19 Jan 2020 às 12:16

    Parabéns, minha amiga linda pelo exemplo de vida ????????????

  • João Miguel
    19 Jan 2020 às 12:07

    O calor do asfalto queima as patas do animal, enche de bolhas!

  • Juliana
    19 Jan 2020 às 12:04

    Asfalto quente e cachorro não combinam, o animal sofre muito mais q o ser humano com o calor intenso! Espero q ela tome os devidos cuidados para proteção da saúde do animal.

Redes Sociais

Sitevip Internet