Olhar Conceito

Segunda-feira, 09 de dezembro de 2019

Notícias / Artes visuais

Cuiabano que começou a dançar aos 8 anos lidera academia focada em técnicas urbanas

da Redação - Isabela Mercuri

17 Nov 2019 - 14:52

Foto: Arquivo Pessoal

Dejailton Campos Neves

Dejailton Campos Neves

Foi aos oito anos de idade, acompanhando o irmão mais velho, que o cuiabano Dejailton Campos Neves começou a dançar. No início, uma hora por dia, até que os professores perceberam que ele ‘levava jeito’ e lhe ajudaram a ganhar uma bolsa. Em pouco tempo, já ficava oito horas por dia na academia, fazendo aulas de balé clássico, balé moderno, dança contemporânea, danças urbanas e jazz na ABMX Voo Livre Cia de Dança. Hoje, aos 27, ele tem a própria escola – Paço Studio – focada em técnicas urbanas, e ministra aulas de ‘Hip Funk’ e ‘Técnicas Diversas’.

Leia também:
Artista de MT deixa engenharia e enfrenta dificuldades para se dedicar à dança e produção musical

Desde o início ele já percebeu que era aquele caminho que queria seguir. No entanto, nunca foi fácil. “Eu via muito meu irmão em uma situação financeira ruim. Ele também dança profissionalmente, e sempre foi muito custosa essa vida de artista”, lembra. Por este motivo, chegou a cursar sete semestres de Ciências Contábeis, mas trancou o curso quando decidiu se dedicar a se sonho – e não deixá-lo para trás, como fez sua mãe, que já quis ser bailarina.

Mais uma vez, quem lhe incentivou foi o irmão, Jamilton Mello, que iria inaugurar um espaço, o ‘Mosaico’, e precisava de pessoas que assumissem algumas salas. Dejailton não hesitou em comandar a parte da dança, e assim nasceu sua academia.

Durante a faculdade, no entanto, ele não havia deixado a paixão para trás. Das oito horas de treino de antes, passou a dedicar somente duas por dia, mas se tornou coreógrafo do Diamond Dance Crew, um grupo de danças urbanas e contemporânea, em 2013.

Diamond Dance Crew (Foto: Arquivo Pessoal)

A partir de 2015, no Mosaico, ele passou a comandar aulas de dança de suas técnicas preferidas: uma delas é o ‘hip funk’, uma mescla de movimentações das danças urbanas, incluso o passinho. “Na música é exclusivamente funk, pode ser apenas por batida, pode ser funk melody, carioca, paulista, mas é dentro da musicalidade do funk”, explica. As técnicas de dança que ele ensina também são hip hop freestyle, new school, old school, femme dance, vogue, dentre outros. Estas aulas acontecem às segundas e quartas-feiras, das 19h às 20h.  

A outra modalidade de aula é de mescla de técnicas. “Existe uma informação externa que conduz como a gente vai levar a dança no Brasil. A gente acaba importando muita coisa”, explica. “Lá eles tem uma dança que se chama jazz ou contemporâneo, mas eles têm outro processo, mais voltado para ginástica artística, com uma série de saltos. Para poder introduzir e ser vendável no Brasil, eu comecei a trabalhar como mescla de técnicas, onde a gente pega alguns saltos, algumas movimentações também da ginástica artística, trabalhando dentro do conceito da dança moderna e aplicando um pouquinho do jazz, do street dance, fazendo esse mix”. Neste caso, as aulas são de segunda e quarta das 18h30 às 20h.

Para Dejailton, o grande problema do mercado de dança em Cuiabá é o academicismo. Ou seja, para se ganhar dinheiro – ou pelo menos conseguir sobreviver – é necessário dar aulas.  “Eu acredito que a gente ainda não tem uma formação em dança, e talvez esse seja o grande problema em Mato Grosso. Porque as pessoas não entendem que elas podem trabalhar na parte de iluminação, parte sonora, de dramaturgia, direção artística, direção geral de um grupo... as academias não dão essa raiz para o aluno”, lamenta.

3ª Mostra Processos

Para quem quiser conhecer mais sobre o trabalho de Dejailton, uma ótima oportunidade é comparecer à ‘Mostra Processos’, que acontece no dia 10 de dezembro, terça-feira, no Teatro Zulmira Canavarros.

O evento terá música ao vivo, teatro e muita dança. Além dos alunos do Paço, também participam outros amigos, grupos, companhias profissionais e academias de Cuiabá. Os ingressos estão à venda no Espaço Mosaico, das 9h às 21h. No dia do evento, também é necessário levar um brinquedo em bom estado para ser doado.

Serviço

3ª Mostra de Processos
Data: Terça-feira, 10 de dezembro
Horário: 19h30
Local: Teatro Zulmira Canavarros
Entrada: R$20 + 1 brinquedo
Venda de ingressos: Espaço Mosaico (Marechal Floriano Peixoto, 512, Centro)
Mais informações: 9 9695-8004

Paço Studio de Dança
Infomações: (65) 99294-8834
Endereço: Marechal Floriano Peixoto, 512, Centro
INSTAGRAM

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Conceito. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Conceito poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

Redes Sociais

Sitevip Internet