Olhar Conceito

Sexta-feira, 24 de maio de 2019

Notícias / Música

Feira do Vinil terá gastronomia, moda, artesanato e literatura além da música

Da Redação - Isabela Mercuri

21 Mar 2019 - 17:12

Foto: Divulgação

Feira do Vinil terá gastronomia, moda, artesanato e literatura além da música
A 17ª edição da ‘Feira do Vinil’ acontece neste sábado (23), na Casa Cuiabana, a partir das 14h. Além da tradicional venda e troca de discos, o evento contará com iniciativas de gastronomia, moda e literatura. A entrada é gratuita.

Leia também:
Coral Educanto volta com projeto para participar em festivais nacionais

De acordo com a assessoria, se apresentam no evento os artistas Caio Mattoso, Augusto Krebs e Marcus Vinicius, além de DJs do projeto HellCityRoom. Haverá também venda de kibe de peixe, hambúrguer e doces para matar a fome.

A feita contará, também, com bancas de peças de brechós, uma Kombi fotográfica que revela as imagens na hora e distribuição de plantas frutíferas e/ou ornamentais pelo projeto Verde Novo.

Os fãs de rock poderão, ainda, apreciar uma exposição de material publicitário (folder e flyer) de shows realizados em Cuiabá nos últimos 10 anos. Também haverá exposição de aquarelas e desenhos.

Escritores participarão do encontro por meio do projeto ‘Leia Arcada’, que tem por objetivo engajar novos escritores para publicação colaborativa de obras. Na ocasião, quatro autores (Lorenzo Falcão, Danilo Fochesatto, Rodrigo Meloni e Júlio Custódio) levarão seus livros para apreciação do público. 

A primeira edição da Feira do Vinil foi realizada em 2015, no Museu Histórico de Mato Grosso. A proposta agradou aos colecionadores, ganhou adesão de artistas e artesãos, e juntos passaram a participar da programação. Conforme o evento foi crescendo, foi transferido para um espaço maior, na Casa Cuiabana, em 2016.

Segundo o organizador do evento, Max Amorim, desta vez haverá opções de vinis de variados ritmos, inclusive alguns considerados raros. "A Feira tem o objetivo de reunir colecionadores e pessoas que gostam de música e antiguidades. Além disso, atrai empreendedores criativos que desejam promover seus produtos e serviços", destaca.

O Centro Cultural Casa Cuiabana é um dos equipamentos culturais da Secretaria de Estado de Cultura, Esporte e Lazer (Secel), que apoia o evento. Ele está localizado na rua General Vale, 181, bairro Bandeirantes. Mais informações sobre o evento: (65) 99225-6204
 

6 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Conceito. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Conceito poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Renata Lima
    22 Mar 2019 às 23:09

    Independente de quem faça o evento, o importante é que ele aconteça e melhore a cada edição. Cuiabá precisa de coisas positivas, união e efervescência. Que bom que existe continuidade a este projeto que se tornou lindo, estarei lá!

  • André
    22 Mar 2019 às 23:03

    Claudia, primeiramente procure se informar sobre o que é apropriação. Segundo se informe melhor sobre o que de fato aconteceu. Pergunte ao Max, ou à Kelly Campos sobre o número do processo jurídico referente ao acordo firmado para a realização do evento. Eu verifiquei, e não houve qualquer tipo de apropriação de evento. Caso tenha dúvidas, vá até ambas as partes e se informe para não sair queimando a língua na chapa.

  • Claudia
    22 Mar 2019 às 09:54

    Antigamente esse evento era realizado pela Kelly, o que aconteceu com ela?? Não vi o nome dela aí...e o Max era só o namorado na época, se não me engano (pois o evento já existia antes dos namoro). Apropriou-se do evento???..que coisa feia, hein!!

  • Cuiabano - desde 1750.
    22 Mar 2019 às 09:06

    Degas. Eu não restauro, mas conserto equipamentos eletrônicos antigos, incluindo vitrola. Obs.: O mais antigo que reparei foi um Knight de 1946, as válvulas vieram da alemanha.

  • CLAUDIA MARZZO ALARCON
    22 Mar 2019 às 02:10

    Tomei gosto pelo vinil depois que vi o JASPER AMARILHA tocar a bossa do João Gilberto no seu violão. Isso foi há muitos anos quando eu residia em Cuiabá. Ainda não conheci outro violonista melhor do que ele quando se quer ouvir a bossa nova. O que me impressiona no JASPER é a sua capacidade de tocar a mesma música em vários tons, acordes diferentes, belas dissonantes isso tudo ao mesmo tempo. Hoje tenho um acervo de vinil importante no Rio e essa Feira de Vinil em Cuiabá valoriza a cultura e a dinâmica do conhecimento musical.

  • Degas
    21 Mar 2019 às 17:59

    Tenho muitos discos de vinil mas minha vitrola Philips está com problemas no braço.Como não estarei em Cuiabá no sábado, peço que se alguém souber quem faz manutenção nessas vitrolas antigas favor informar.

Redes Sociais

Sitevip Internet