Olhar Conceito

Sábado, 20 de julho de 2024

Notícias | Comportamento

carro 'gigante'

Empresário chama atençãos nas ruas com SW4 modificada para fazer trilhas no Pantanal

Foto: Olhar Conceito

Empresário chama atençãos nas ruas com SW4 modificada para fazer trilhas no Pantanal
Quando usa a SW4 modificada para trilhar no Pantanal para passear pela cidade com os dois filhos, o empresário cuiabano Nilton César Torres, de 47 anos, chama atenção nas ruas da cidade por conta da altura do veículo, que tem rodas gigantes para rodar no solo pantaneiro. O hobby começou a 15 anos, quando ele conheceu outros amigos jipeiros e comprou o primeiro carro, que era um "jipe gaiola". 


Leia também 
Cachoeira Serra Azul ficará fechada para banho por tempo indeterminado; veja como vai funcionar

Além da Toyota SW4, Nilton também tem uma F75 modificada para trilhas. Com o grupo de amigos jipeiros, ele costuma viajar para a Transpantaneira. "Nós saímos daqui com uma equipe boa, levamos uma cevejinha e uma carninha para assar, sempre vamos de 10 a 15 jipes. Em cada jipe vai o motorista e o 'Zequinha' do lado, que é quem desce para puxar cabo se o carro atolar. Costumamos sair meia-noite para amanhecer o dia na fazenda, ficamos o dia todo no meio do mato".

Como em toda aventura, os passeios as vezes terminam em perrengue, como a vez em que Nilton precisou andar 7km dentro d'água com o grupo. No entanto, ele explica que, na maioria das vezes, as trilhas acontecem com tranquilidade. "As vezes quebra, a gente deixa para trás, vai buscar depois de uma semana". 

A parte de cima do jipe é de uma SW4 convencional, a modificação fica por conta da suspensão e do motor, que também precisa ser alterado para entrar dentro d'água. Nilton explica que, muitas vezes, o veículo fica submerso quase por completo. 

"A gente anda muito dentro d'água, então tem que mudar o sistema do motor, senão ele vai morrer, a suspensão ajuda um pouco, por isso fica alta desse jeito. A parte de cima é um carro normal, a suspensão que é alterada. Esse é uma SW4 da Toyota. Quando comecei foi com a gaiolinha, que tem um motor de fusca e fui crescendo devagarzinho, não é um brinquedo barato". 

Um dos sonhos do empresário e jipeiro é percorrer a Rodovia Transamazônica, conhecida pelas estradas difíceis. "Falam que lá o 'trem é feio', muita emoção, mas com um carro desse vai e volta de jeito. Meus filhos estão começando a gostar, mas não é muito bom levar criança ainda para as trilhas pesadas, não sabemos o que pode acontecer, mas eles dão uma voltinha comigo. Quando estamos na rua, não tem um que não olha". 
Entre em nossa comunidade do WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Assine nossa conta no YouTube, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet