Olhar Conceito

Terça-feira, 21 de maio de 2024

Notícias | Comportamento

gastronomia cuiabana

Influenciadores investem em perfis de dicas e transformam Instagram em fonte de renda com publicidades

Foto: Reprodução

Influenciadores investem em perfis de dicas e transformam Instagram em fonte de renda com publicidades
Com os perfis de dicas gastronômicas conquistando engajamento nas redes sociais, os feeds dos cuiabanos também estão ganhando cada vez mais vídeos com sugestões de onde ir na cidade. Maínna Gracie Figueiredo, de 31 anos, foi a primeira a criar uma página no Instagram, em 2016, quando a plataforma ainda era exclusivamente de fotos, para compartilhar imagens dos lugares que gostava de frequentar para comer em Cuiabá.


Leia também 
Bella Campos participa de curta sobre assassinato de Marielle Franco e Anderson Gomes; assista aqui


Dois anos depois, Maínna serviu de inspiração para que o várzea-grandense Diórginy Gilvam Lima de Moraes, de 31 anos, e o curitibano André Mattos, de 37, também criassem o próprio perfil de dicas gastronômicas em Cuiabá, o @citycuiabaa. Como influenciadores digitais, os três, cada um em seu tempo, transformaram o Instagram em fonte de renda e descobriram novas profissões. 

As trajetórias de Maínna, Diórginy e André, na corrida por engajamento no Instagram, têm muitos pontos em comum. Eles contam que, no começo, quando os perfis de dicas eram apenas hobby para distrair da rotina dos trabalhos que tinham na época, o pagamento era feito por permuta através de deliverys de lanches e outros pratos que seriam divulgados na rede social. 

“No começo era muito mais permuta, às vezes eu pagava para criar o conteúdo, porque comprava com o meu dinheiro, gostava e achava que aquilo merecia. Hoje em dia ainda faço isso, a diferença é que as empresas acabam me pagando. O empresário hoje tem noção que tem que procurar alguém que gosta do produto. Hoje a diferença maior é essa, mas foram uns três ou quatro anos sem ganhar nada. No começo era só por hobby mesmo”, conta Maínna. 

“Hoje 90% dos clientes chegam sozinhos, por indicação, mas teve uma época que a gente ia atrás, prospectava, mandava mensagens para os restaurantes e vendia nosso serviço. As coisas foram crescendo a ponto de ter mês que faturei mais do que ganhava no meu trabalho. A gente analisou os números, porque o André é a parte administrativa, ele me disse que valeria a pena eu sair do emprego, que ele seguraria as pontas. Pedi demissão e só foi”, lembra Diórginy. 

Entrada no mundo digital 

O @pegaessadicacba de Maínna surgiu como um projeto de conclusão de curso quando ela cursava jornalismo. A influenciadora recebeu conselhos de professores enquanto tentava desbravar o universo de dicas gastronômicas em Cuiabá. Esse tipo de conteúdo já fazia sucesso em outras cidades brasileiras e serviram de inspiração para Maínna. Ela conta que, quando decidiu criar o perfil, estava cansada de ouvir as pessoas dizerem que não havia lugares legais na cidade. 

“Quando comecei não tinha um perfil de dicas aqui, minha intenção realmente era valorizar esse comércio local, sempre fui de gostar muito das coisas mais simples, um espetinho, um baguncinha, mas não via muita divulgação desses lugares. Muitas pessoas falavam que Cuiabá não tinha nada para fazer, que eu estava iludida, mas eu queria mostrar que tinha sim”. 
 

Quando o perfil de Maínna começou a ganhar visibilidade, ainda só com fotos dos pratos que comia em lugares de Cuiabá, os primeiros seguidores logo se multiplicaram e a influenciadora se surpreendeu com o crescimento. Diferente daquela época, hoje o reels é a principal forma de conquistar engajamento no Instagram, que deixou de ser uma rede social de compartilhamento de fotos e prioriza vídeos. 

“No começo não tinha stories, fazia muito feed com foto e postava sobre os lugares, via que as pessoas iam compartilhando. Depois surgiu os stories e pensei: acho que posso usar isso para dar uma dica todo dia. Mas escutei muito no começo que estava passando vergonha, que não chegaria em lugar nenhum. Me permito passar vergonha por algumas coisas, meio que coloquei na minha cabeça que vou fazer o que quiser e não me importo. Não estou fazendo mal ou prejudicando ninguém, só estou tentando mostrar o que tem aqui”. 

Apesar de aparecer esbanjando desenvoltura nos vídeos em que aparece experimentando novos pratos e conhecendo lugares na Baixada Cuiabana, Maínna conta que precisou superar a timidez para se expor no Instagram. 

“Não parece, mas sou tímida, no começo não era para eu aparecer, era só para mostrar as coisas. Uma professora perguntou se eu não iria mostrar minha cara, falei que não, mas realmente quando a gente se mostra, as pessoas criam uma afinidade. Foi um processo, se pegar os vídeos antigos fico ‘meu Deus’, mas era o que eu conseguia fazer no momento”. 

Descoberta de uma nova profissão 

Diórginy começou o perfil no final de 2018 e, no ano seguinte, ganhou a parceria de André para administrar a página que, até então, também era um hobby. Cada um tinha seu próprio trabalho de carteira assinada e horário fixo, mas como gostavam de descobrir novos lugares para comer, começaram a registrar as experiências no @citycuiabaa. 

“Aos poucos as coisas foram ganhando proporção, o André morava em Curitiba na época e começou a pesquisar conteúdos sobre Cuiabá para ter ideias de gerar conteúdo para internet. Chegou a pandemia e as empresas começaram a procurar a gente perguntando sobre publicidade. Muitas ainda não estavam no digital, mas com a pandemia, acabaram indo e queriam a divulgação para serem vistas pelas pessoas”, explica Diórginy. 

O perfil, que hoje tem mais de 122 mil seguidores, tinha chegado a 5 mil na época e os dois começaram a perceber que o engajamento no Instagram estava cada vez maior. A possibilidade de ganhar mais com o trabalho digital fez com que Diórginy deixasse, primeiro, o emprego para se dedicar ainda mais ao City Cuiabá. “Comecei a perceber que três a quatro empresas que atendia em um mês já pagavam praticamente o salário que ganhava no meu trabalho”. 
 

André, que trabalhava remotamente para uma empresa de Curitiba desde 2017, deixou o emprego em julho do ano passado, também com o objetivo de se dedicar exclusivamente ao Instagram. Por ser uma profissão relativamente nova, a dupla de influenciadores chegou a ouvir comentários negativos no início da carreira. 

“Não contei para ninguém que ia sair do emprego, contei depois. Todo mundo achou que era loucura, o perfil já estava grande, mas, por exemplo, meu pai não tem Instagram, as vezes comento com ele que um vídeo teve mais de 200 mil visualizações, aí ele começa a entender o tamanho das coisas. 

É difícil eles entenderem quando falamos que estamos andando de lancha no Manso em uma terça-feira, 15h, mas é um trabalho”, conta o curitibano. 

“A gente enfrenta um preconceito porque somos de uma geração diferente. Meus pais principalmente, a ideia era: formar, ter um emprego de carteira assinada, construir uma carreira na empresa e depois se aposentar. É isso. No começo a minha família ficava me zoando, chamando de ‘blogueirinho’. Foi meio difícil. Mas hoje eles vêem que é o que sustenta, do nosso trabalho sai ajuda financeira para nossa família, então eles percebem que está entrando dinheiro e é uma coisa séria”, completa Diórginy. 

Assim como eles, Maínna também deixou o emprego de servidora pública para se dedicar ao perfil de dicas no Instagram. O processo foi o mesmo: a influenciadora percebeu que conseguiria ganhar mais com o emprego digital do que ganhava como assessora de imprensa concursada. Apesar dos comentários que tentaram desmotivá-la, ela logo colheu os frutos da dedicação ao ser notada por grandes empresas. Atualmente, ela tem mais de 225 mil seguidores no Instagram. 

“Não vou falar que sabia que iria crescer assim, se soubesse, não teria ficado nem um pouco insegura e teria ouvido menos as pessoas. A primeira marca que me procurou que fiquei surpresa foi a Tok&Stok quando chegou na cidade, eu ainda trabalhava, não sabia nem quanto cobrar, eles ofereceram um valor que me deixou satisfeita, fiquei feliz de uma marca como essa me notar. Dali para frente decidi não escutar mais ninguém, vou fazer o que acho mesmo”, lembra Maínna. 

Rotina de influenciador de dicas 

Para produzir os conteúdos, os influenciadores de dicas precisam estar sempre atentos ao que está acontecendo em Cuiabá. André explica que, muitas vezes, eles precisam passar muitas horas consumindo conteúdo em redes sociais, além de estudarem sobre técnicas de captação, edição e narrativa para criarem os reels que viralizaram em horas no Instagram. 

Maínna também usa Instagram para compartilhar a rotina da família em Cuiabá. (Foto: Arquivo pessoal)

“Hoje a gente briga por atenção do pessoal, a gente tem 122 mil seguidores que construímos ao longo dos anos, mas a gente ainda não tem 100% da atenção deles. Então, quanto mais atrativo o vídeo for naquele momento, mais a gente consegue fisgar a atenção. Hoje como criadores de conteúdo, a gente briga pela atenção, para que os seguidores olhem para nossos vídeos e a gente consiga trazer as marcas”, completa Diórginy. 

Tanto Maínna quanto a dupla de influenciadores buscam criar conteúdos especiais e temáticos. A dona do Pega Essa Dica Cuiabá, por exemplo, apostou em uma série de reels sobre lugares “secretos” no Centro Histórico da capital. Com vídeos espontâneos (que não são pagos pelos proprietários), Maínna conseguiu viralizar lugares que vendem de café turco a coxinha de 1 kg. 

“Fazemos dois tipos de conteúdo, a publicidade, que é mais elaborada, fazemos muitos takes e que é bem direcionada, e o espontâneo, que é um vídeo muito menor, que é algo que olhei e achei que as pessoas precisavam saber, algo que todo mundo precisava, um desconto muito bom de ar condicionado, por exemplo, não tem como, é minha missão ali postar o que é interessante. Quando é pago é outro tipo de conteúdo, o espontâneo é bem mais enxuto. Mas já aconteceu dos conteúdos espontâneos viralizarem”, explica a influenciadora. 

“É gratificante quando sinto que meu trabalho, de fato, está sendo visto e realmente chegando nas pessoas. Esses dias a gente gravou um que ficamos surpresos, posso imaginar o que as pessoas vão gostar, mas não tenho como dar certeza, a gente depende muito do algoritmo do Instagram. É um tiro no escuro. Mas é muito bom receber o feedback do pessoal falando que algo está esgotado ou que o lugar lotou por conta da publicação, o esforço vale a pena”. 

Compartilhar experiências gastronômicas e turísticas no Instagram virou profissão para dupla de influenciadores. (Foto: Arquivo pessoal)

Diórginy ressalta a quantidade de trabalho em equipe que existe por trás de um vídeo de 40 segundos publicado no Instagram. “O vídeo que você vê, de 40 segundos, é o resultado de um trabalho, a pontinha do iceberg, existe todo um trabalho por trás: estratégia de captação, edição, roteiro, narrativa, pensamos na linguagem. Como o mercado digital é muito dinâmico, ele muda todo dia, então todo dia é um meme que está em alta, um vídeo que viralizou. Temos que ficar atentos para levar esses cases para os negócios e divulgar a marca”. 

A experiência que conquistaram como influenciadores de dicas gastronômicas também foi aplicada por André e Diórginy em outro negócio: os dois criaram uma agência que presta serviço para restaurantes, os anos de estudo sobre marketing e criação de conteúdo da dupla podem ser contratados para impulsionar um negócio no universo digital. 

“Nos últimos dois anos a gastronomia cresceu muito em Cuiabá, é muito restaurante, muito bar. A culinária cuiabana é muito rica, não só nos pratos típicos, a criatividade do empresário cuiabano aparece na culinária. Você vai comer banana da terra, mas dentro de um bolinho super delicioso. A gente gosta muito de história e Cuiabá tem uma participação muito importante na história do Brasil, gostamos muito de consumir isso”.

Agora que já estão consolidados como perfil de dicas gastronômicas, o City Cuiabá vai se tornar um guia digital com os melhores lugares para comer na cidade. A dupla também está trabalhando para agregar o conteúdo turístico na página do Instagram, mas claro, sempre focado em dicas de restaurantes e pratos. 

“Queremos fortalecer isso para o cuiabano, que às vezes não sabe de um museu, por exemplo, mas também para as pessoas que vêm para cá, que aqui tem muita coisa para fazer. Antes de morar em Cuiabá, já tinha vindo umas cinco vezes ao trabalho, mas eu não fazia nada aqui, depois que vim morar aqui descobri que tinha muita coisa. Então, acho que nosso perfil também traz isso para quem está vindo de fora. Tem muita coisa”, aponta André. 

Já Maínna sonha com a chegada do primeiro milhão de seguidores no Instagram e ressalta a importância da presença dos influenciadores de dicas nas redes sociais. Para ela, os perfis ajudam a economia regional a girar. 

“Meu sonho de consumo é 1 milhão de seguidores, já prometi que vou levar umas seguidoras para um resort, vou fazer uma festa. Parece muito distante, sei que vou chegar, mas não sei quando. Minha missão mesmo é conseguir mostrar que temos bons lugares para comer, que Cuiabá tem muita coisa legal, restaurantes com qualidade. Algumas pessoas às vezes não entendem que temos qualidade e estamos comendo uma das melhores comidas”.
Entre em nossa comunidade do WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Assine nossa conta no YouTube, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet