Olhar Conceito

Sexta-feira, 24 de maio de 2024

Notícias | Artes Cênicas

no Zulmira Canavarros

In-Próprio Coletivo aposta em teatro do absurdo para espetáculo que expõe consumismo desenfreado

Foto: Reprodução

In-Próprio Coletivo aposta em teatro do absurdo para espetáculo que expõe consumismo desenfreado
A in-Próprio Coletivo apresenta o espetáculo VERNIZ Náutico para Tufos de Cabelo, no Teatro Zulmira Canavarros, em Cuiabá, em 17 e 18 de fevereiro. O coletivo traz ao público uma pesquisa que vêm desenvolvendo nos últimos anos, durante um intercâmbio artístico que proporcionou intenso vai-e-vem entre a baixada cuiabana e as declivosas terras mineiras.


Leia também 
DJ faz sucesso com 'cobertura' do BBB 24 e é seguido por famosos: 'as pessoas me param nos rolês'


A montagem conta com recursos do Edital Viver Cultura - Teatro, da secretaria estadual de Cultura, Esporte e Lazer (Secel). No enredo, duas mulheres preparam uma festa de aniversário para uma terceira, que se encontra inerte.

Na medida que a ação evolui, apresenta-se uma trama nonsense de frases feitas, de acúmulo inútil de objetos, de terríveis relações coisificadas.

Com uma preciosa ficha com artistas de Cuiabá, além da diretora e atriz Dani Leite e da iluminadora e atriz Karina Figueredo estão a atriz Débora Vecchi, a parceria cenotécnica de Douglas Peron, do coletivo Spectrolab, o músico e arranjador Jhon Stuart, o dramaturgista e sonoplasta Gus Lima, além da designer de moda Bianca Poppi.

A comunicação e identidade visual foi feita por Alexandre Cervi e a produção por Yasmin Moreira. Segundo Gus Lima, "a discussão inicial pautou-se na atual crise dos sistemas produtivos". 
"Assim, optamos pelo lado sombrio e incerto que passou a regular as relações trabalhistas após a recente reforma, implementada em 2017".

Karina Figueredo complementa: "Afinal, toda pessoa artista independente é uma trabalhadora precarizada no Brasil. Apostamos numa abordagem ligada ao teatro do absurdo e VERNIZ convoca a atenção da plateia ao expor questões como o consumismo desenfreado".

Dani Leite afirma que a encenação colocou uma lupa no esvaziamento dos vínculos humanos e a opressão enquanto sintoma de um projeto político que privilegia uma vida ensimesmada e autofágica.

O texto, publicado em 2016 foi premiado pelo Aplauso Brasil de Teatro daquele ano e é de autoria do dramaturgo Victor Nóvoa, cuja intensa produção artístico-literária tem obtido uma coleção de indicações a prêmios como os aclamados Shell e APCA (Associação Paulista de Críticos de Arte). O dramaturgo estará presente na estreia do espetáculo.

Os ingressos são gratuitos e estão disponíveis na plataforma 1º PISO, basta retirar no link

 
Entre em nossa comunidade do WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Assine nossa conta no YouTube, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet