Olhar Conceito

Quinta-feira, 20 de junho de 2024

Notícias | Artes visuais

'mapas de calor'

Galeria abre exposição com artistas que enfrentam desafio de produzir arte digital na capital mais quente do Brasil

Foto: Reprodução

Galeria abre exposição com artistas que enfrentam desafio de produzir arte digital na capital mais quente do Brasil
Artistas que enfrentam o desafio de produzir arte digital na capital mais quente do Brasil levam 35 trabalhos mediados a partir de processos computacionais, apresentados em telas, projeções e impressões fine art na exposição "Mapas de Calor: Arte Digital em Altas Temperaturas", a partir da próxima quinta-feira (30), às 19h, na Galeria Arto, em Cuiabá. A entrada é gratuita.


Leia também 
IT Bazar especial de final de ano reúne mais de 35 marcas com descontos de até 80%


A seleção traz técnicas como modelagem 3D, pintura digital, animação digital, videoarte, instalação, arte sonora e inteligência artificial. Entre os artistas estão Amanda Homem, Gora, Tamii, Igor Modolon Souza e Renato Medeiros, que também é pesquisador em Arte e Tecnologia e assina a curadoria do projeto.

Além disso, participa Lorena Ferreira, artista de Alto Araguaia indicada ao Prêmio Pipa 2021, um dos mais importantes da arte contemporânea brasileira. A mostra coletiva ainda destaca o legado da artista visual Regina Pena, morta em 2020 e uma das precursoras da arte digital no estado.
 
O projeto curatorial convida o público a refletir sobre os impactos ambientais das tecnologias digitais, por muito tempo celebradas como símbolos de modernidade e progresso. Os impactos são frequentemente negligenciados, apesar dos hábitos online não serem tão inofensivos quanto parecem.

O uso dessas tecnologias também contribui para o aquecimento global e, nesse contexto, a montagem da exposição torna-se pertinente em Cuiabá, que enfrenta regularmente temperaturas acima dos 40°C, com recordes batidos anualmente.
 
Contudo, as tecnologias digitais também podem oferecer ferramentas para expressar e compreender as mudanças climáticas. Para o curador, Renato Medeiros, essa é uma relação conflituosa: "estamos cada vez mais dependentes dessas tecnologias e habituados à sua comodidade, mas é preciso ir além da idealização e do entusiasmo com as inovações". 
 
Visitação: de 1 de dezembro de 2023 a 11 de janeiro de 2024.

Horário: das 8h às 12h e das 14h às 18h (segunda a sexta-feira).
Entre em nossa comunidade do WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Assine nossa conta no YouTube, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet