Olhar Conceito

Sexta-feira, 24 de maio de 2024

Notícias | Moda

marca tradicional

De pai para filho: Casa Prado começou na década de 50 e já está na terceira geração da família

Foto: Reprodução

De pai para filho: Casa Prado começou na década de 50 e já está na terceira geração da família
Na década de 50, José Rodrigues do Prado era apenas um jovem trabalhador do comércio de secos e molhados de Poconé (MT). Em 1955, José comprou uma loja no número 78, na Praça da República, no Centro Histórico de Cuiabá, e depois de liquidar o antigo estoque do estabelecimento, mudou o nome para “Casa Prado - Artigos Finos para Cavalheiros”. José morreu em 1988, aos 62 anos, mas deixou um legado que passou de pai para filho na família. 


Leia também
Feirinha do Tião: família nordestina cria evento cultural em restaurante de Cuiabá


O Dia dos Pais, celebrado neste domingo (12), tem um sabor especial para o neto de José, Geraldo José Prado, de 41 anos. O empresário, que agora comanda a empresa ao lado da irmã, Priscila Prado, de 44, explica que a data é importante pelo aumento nas vendas, mas também por lembrá-lo da responsabilidade que tem com a marca criada pelo avô. 

“Dia dos Pais é uma data importante, para nós é o segundo Natal e reforça ainda mais essa questão do ‘de pai para filho’. É uma data que além de vender muito, tem tudo a ver com Casa Prado, que também é de pai para filho”. 

A loja que começou em um dos imóveis da rua 13 de Junho e mudou para o Palácio da Instrução, em 1971, agora está presente em todos os shoppings de Cuiabá. A Casa Prado também expandiu para o Norte do Brasil, onde abriu lojas em Rondônia e no Amazonas. Apesar da grande responsabilidade, Geraldo José encara o desafio como uma oportunidade de deixar a própria contribuição à marca. 

“É uma responsabilidade e um presente. Ao mesmo tempo que é desafiador, também é uma oportunidade de dar continuidade a uma história e um legado. É uma oportunidade de deixar minha contribuição também para o negócio”. 

Para o empresário, o avô foi visionário quando decidiu segmentar o mercado da moda ainda na década de 50. “Teve uma visão futurista, inovadora e desafiadora para a época, porque ele fez uma segmentação de mercado. Isso é o que mantemos até hoje, esse perfil de inovação, de olhar para o futuro e acreditar no comércio de Mato Grosso”. 

Diferente do pai, Geraldo Prado, atualmente com 72 anos, precisou assumir a loja quando José morreu. Geraldo José cresceu envolvido nos negócios da Casa Prado. A primeira lembrança que o empresário tem de si mesmo no universo da marca é de quando tinha apenas 16 anos. 

“Meu pai já acompanhava, não como nós que estamos desde o começo, mas acabou entrando no negócio. Com uns 16 anos já me lembro de ter começado a participar. A gente sempre viveu esse mundo da marca, do nome, a gente sempre participou”. 

Em uma das fotos de comemoração dos quase 70 anos de Casa Prado, Geraldo José aparece ao lado do pai e de um dos dois filhos, de quatro anos. O empresário não esconde o desejo que ele e a irmã sentem de ver a marca ser expandida para a quarta geração da família. 

“Meu pai tem 72 anos e ainda vai para as lojas. Se envolve e participa muito. Está sempre andando nas lojas. Nossos filhos são da quarta geração, vamos fazer o trabalho para dar sequência”.
Entre em nossa comunidade do WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Assine nossa conta no YouTube, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet