Olhar Conceito

Quinta-feira, 20 de junho de 2024

Notícias | Literatura

militar e senador

'A Verdade por Trás da Mentira', livro de escritor cuiabano promete nova face de Filinto Müller

Foto: Reprodução

'A Verdade por Trás da Mentira', livro de escritor cuiabano promete nova face de Filinto Müller
O escritor cuiabano João Carlos Vicente Ferreira promete dar luz a uma nova face do ex-senador e militar Filinto Müller em sua nova obra, que será lançada nesta terça-feira (11), às 19h, no Plenário das Deliberações Deputado Renê Barbour, na Assembleia Legislativa de Mato Grosso. 


Leia também
'Minas' de Rondonópolis: entre parcerias e palcos Karola e Pacha Ana resistem na cena independente


Em "Filinto Müller - A Verdade por Trás da Mentira", João Carlos mergulhou em extensas pesquisas, recorrendo a entrevistas com pessoas próximas em uma busca pela verdade histórica e com o objetivo de reabilitar a imagem de Filinto. 

Maria Luíza, sua filha, Fred Müller, seu sobrinho, e Júlio José de Campos, amigo e afilhado de Filinto, contribuíram significativamente para a produção do livro, compartilhando relatos preciosos sobre a vida e o legado de Müller. 
 
Filinto Müller, cuiabano ilustre, foi senador por Mato Grosso, militar e, durante o Governo Vargas, ganhou notoriedade como chefe da polícia política, tendo seu nome associado a episódios de tortura.

"O personagem Filinto é enigmático, sempre suscitou debates. Numa dessas conversas sobre história do Brasil, ouvi a sua importância para a história política, social e econômica brasileira e mato-grossense. Observei que eu não sabia nada sobre a vida desse cidadão. Busquei sabê-lo, daí, então, foram apenas uns poucos passos para me dedicar a trabalhar um recorte de sua biografia", afirma o escritor. 
 
Filinto Müller foi um dos homens públicos mais importantes de sua época, tendo se destacado também no Exército Brasileiro. Sua atuação despertou admiração e gratidão no povo de Mato Grosso, especialmente entre os mais antigos, que reconhecem sua contribuição para o estado. 
 
Essa visão negativa, de acordo com João Carlos, é resultado de uma vingança sórdida urdida por Assis Chateaubriand e executada pelo jornalista David Nasser. Sem apresentar provas e sem dar voz ao outro lado, Nasser construiu uma narrativa que colocou Filinto Müller no banco dos réus, ao lado dos nazistas.

João Carlos alega que Nasser não passava de um romancista frustrado que se tornou famoso por criar histórias mirabolantes para vender jornais e revistas. 
Entre em nossa comunidade do WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Assine nossa conta no YouTube, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet