Olhar Conceito

Terça-feira, 28 de junho de 2022

Notícias | Carreira

Dog do Rapha

Do carrinho ao sucesso: casal de cuiabanos prospera no setor com venda de cachorro-quentes

Foto: Rogério Florentino

Do carrinho ao sucesso: casal de cuiabanos prospera no setor com venda de cachorro-quentes
A pandemia do novo coronavírus trouxe dois caminhos muito opostos ao setor gastronômico: a falência em decorrência do baixíssimo movimento ou o fortalecimento do local com o investimento de delivery. O Dog do Rapha, conhecido entre os universitários da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), conseguiu se sobressair no segundo caminho, ao apostar todas as fichas no delivery e trazer novas opções de lanches.

Leia também:
Guia gastronômico: 5 hamburguerias para conhecer em Cuiabá

A jornada de Raphael Rodrigues e Dayanne Leite Matos começou de forma um pouco inusitada. Ao final de 2015, Raphael acabou fraturando o joelho ao tentar separar uma briga que aconteceu no seu antigo local de trabalho. Consequentemente, ficou em casa de licença médica por 90 dias, período que tirou para repensar seus caminhos e viu que precisava investir em um novo negócio, o cachorro-quente.



Antes de investir em um negócio próprio, as condições financeiras em casa acabaram ficando um pouco precárias. O trabalho de Raphael dependia de comissão, então sem trabalhar o salário acabou chegando em casa menor. Por isso, Raphael chegou a precisar vender uma moto para que a condição da família melhorasse e a situação só provou que ele precisava investir no cachorro-quente.

A receita já fazia sucesso entre os familiares, então não era muito difícil criar expectativas para que o negócio fosse para frente. Então comprou um veículo Towner adaptado em uma viagem para São Paulo, ainda se recuperando da fratura no joelho. Posteriormente, em janeiro de 2016, se instalou em frente à Caixa Econômica, próximo ao Subway, na Rua 1 do bairro Boa Esperança, em Cuiabá, dando início a jornada de sucesso.



O Dog do Rapha fez muito sucesso entre os moradores do bairro e universitários que saíam das aulas noturnas ou de festas. Nos primeiros meses, ele e sua esposa ainda atenderam eventos que fizeram o cachorro-quente popularizar ainda mais, dando suporte para a troca do Towner para um food-truck, pronto para atender a demanda do bairro.

Com a chegada do food-truck, o ponto de vendas mudou — que já estava em processo de mudança por outros fatores. Da Caixa Econômica, mudou-se para o outro lado da Rua Rua 1, quase em frente ao Museu de Artes e Cultura Popular (MACP). O sucesso prosseguiu, mas a chegada da pandemia do novo coronavírus passou a ameaçar a existência do negócio.



Eles já trabalhavam com delivery, mas a demanda pelos aplicativos chegava a cerca de 20%. Ficaram fechados por cerca de 10 dias até que veio a ideia de apostar no sistema de entregas e trazer outros lanches além do cachorro-quente, por acreditarem que não seria suficiente para sustentar o novo modelo de negócio. Deu certo, mas Raphael aguardou ter uma melhor segurança para voltar a atender presencialmente.

“Essa questão da pandemia trouxe muita incerteza. A gente ficou com o coração aflito, mas a gente tinha esperança de que daria certo. [Pensamos:] ‘vamos inovar, vamos começar do zero se for preciso, voltar com o carrinho se for preciso’. A gente tinha essa esperança de que daria certo. [Só precisava] esperar a turbulência que estava”, conta Raphael.



Parte do sucesso do delivery do Dog do Rapha se deu ao cuidado dado na hora da entrega. Raphael explica ao Olhar Conceito que passou meses procurando pela melhor forma de entregar seus cachorro-quentes aos clientes antes mesmo de abrir. Uma das maneiras encontradas foi separar a batata palha do lanche. Assim, a batata palha acaba chegando crocante na casa dos clientes.

Quando decidiu pelo retorno, o casal chegou à conclusão de que precisava manter os mesmos lanches que passou a oferecer por delivery, então procurou por um novo local que conseguisse atender as demandas. A busca durou quase um ano e chegou ao fim quando encontraram um estabelecimento na Rua Alexandre de Barros, 145, no bairro Chácara dos Pinheiros, ainda em Cuiabá, onde ficava localizado um restaurante que faliu durante a pandemia.



A nova localização é bem distante do antigo ponto, mas não abalou o negócio. Eles confessam que ficaram um pouco receosos, mas Dayanne enxergou o novo local como uma forma de sair da zona de conforto. “A gente estava ali e o tempo todo era do Boa Esperança a nossa clientela. Às vezes passava um ou outro”, conta em entrevista ao Olhar Conceito.

O carro-chefe do Dog do Rapha é o especial, composto por pão, molho, queijo, milho, purê de batata e salsicha, que varia de uma ou três. Há ainda uma outra versão que sai com vinagrete, lanches prensados e baguncinhas tanto com hambúrgueres tradicionais ou caseiros. Para pedir, basta entrar em contato com o número (65) 98439-9090.

Siga o Dog do Rapha no Instagram.
Entre em nosso grupo de WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet