Olhar Conceito

Sábado, 25 de junho de 2022

Notícias | Música

Remix

Coral Mato Grosso lança disco que une canto orgânico à batida eletrônica

Foto: Reprodução

Coral Mato Grosso lança disco que une canto orgânico à batida eletrônica
O Coral Mato Grosso lança nessa próxima segunda-feira (6) o disco “Coral Mato Grosso Remix”, que une canto orgânico às batidas eletrônicas, no Mirante das Águas, em Várzea Grande, a partir das 19h. O evento também marca o lançamento de um documentário que celebra os mais de 20 anos do grupo.

Leia também:
Curta-metragem “Como Levar Meu Avô Pro Céu” tem pré-estreia nesse domingo

Na ocasião, o Coral apresentará clássicos dos três discos já gravados, todos com composições assinadas por Edna Vilarinho. Acompanhados também por um DJ, revelarão como ficou o resultado da nova aposta: músicas do coral receberam arranjos baseados no estilo downtempo, uma vertente da música eletrônica que costuma ser utilizada para recriar músicas folclóricas.

A comadre Guanira – personagem criado por Cristiano Tortorelli – fará as honras. Ela, que é diretora cênica do Coral, receberá o público ao lado da regente e diretora musical, Sonia Mazetto. Em toda sua caminhada o Coral Mato Grosso sempre se pautou por elevar a cultura cuiabana, mas principalmente, seu linguajar. Assim, as composições de Edna Vilarinho ritmam essa trajetória.

“Eu fiz essas músicas para acabar com essa ‘sem-graceira’ das pessoas, perguntando, ‘nossa! Que língua que é essa?’”, se diverte em entrevista para o documentário dirigido por Rogê Além, com câmera de Henrique Santian. E Guanira endossa: “Todo mundo tem sua fala, cuiabano também tem”. Sua presença garante momentos divertidos ao filme. 

Responsáveis pelas inovações musicais, Rogê Além e José Stival, respectivamente, o diretor e produtor musical, explicam suas apostas sonoras. “O downtempo possui baixo BPM. Produtores do mundo todo tem divulgado músicas folclóricas, baseando-se pelo estilo. Pelo que se tem conhecimento, é algo inovador para o cenário regional”, diz Rogê.

Para arrematar, a idealizadora do projeto, que considerou surpreendente o resultado da empreitada, endossa: “A nossa música vem do pé no chão, da realidade dos mestres populares... Como as pessoas vão receber isso? Como uma terapia musical de pista”, aposta Mazetto.

O projeto Música Mato-Grossense Tipo Exportação recebe incentivo da Lei Aldir Blanc. O edital foi realizado pelo Governo de Mato Grosso, por meio da Secretaria de Estado de Cultura, Esporte e Lazer (Secel-MT), em parceria com o Governo Federal, por meio da Secretaria Nacional de Cultura, do Ministério do Turismo.
Entre em nosso grupo de WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet