Olhar Conceito

Domingo, 17 de outubro de 2021

Notícias / Comportamento

'mestres'

Conheça personalidades mato-grossenses que são símbolo para a cultura estadual

Da Redação - José Lucas Salvani

17 Fev 2021 - 11:00

Foto: Reprodução

Conheça personalidades mato-grossenses que são símbolo para a cultura estadual
Devido ao Edital Conexão Mestres da Cultura, cerca de 75 personalidades mato-grossenses estão ou serão homenageadas com diversos projetos ao longo dos meses por conta de sua ampla experiência e capacidade de transmitir conhecimentos e as técnicas necessárias para a produção, difusão e preservação da expressão cultural na qual atua, e que sejam reconhecidos pela sua contribuição à Cultura de Mato Grosso. Conheça abaixo seis destas 75 personalidades.

Leia mais:
Após seis anos, Festival de Cinema e Vídeo de Cuiabá retoma em abril; inscrições abertas​

Cacica Carolina Rewaptu 



A história de Carolina é de resistência a tentativa de extermínio dos Xavante da terra Marãiwatsédé em Mato Grosso. Foram 46 anos de luta para a retomada desta área. Carolina. que era uma criança quando seu povo foi retirado desta área, cresceu, aprendeu português, tornou-se professora e hoje é cacique em Marãiwatsédé . Desde a retomada de Marãiwatsédé, se dedica a replantar o local, cultivando a cultura alimentar Xavante.  

Clóvis Mattos 



O papai Noel Pantaneiro é uma das personalidades mais atuantes na democratização do livro e da leitura em Mato Grosso. A luta de Clóvis é fazer chegar a todas as pessoas a possibilidade de ler pelo menos uma obra literária na sua vida. Para isso, ele não mede esforços e reúne ao seu redor, colaboradores, no objetivo de 'espalhar livros pelo estado de Mato Grosso'. As ações são feitas totalmente com recursos próprios e Clóvis já teve a tristeza de ver a casa onde guardava seus livros em chamas, depois de um acidente com a fiação elétrica. Mas como um bom mestre, se reergueu e continuou sua missão.

Justina Ferreira  



"Uma das histórias de vida mais incríveis". Assim se narra a trajetória da Mestre Justina, moradora do Quilombo Mutuca em Mata Cavalo - Nossa Senhora do Livramento - MT. Conhecida pelas habilidades de manutenção da Cultura alimentar de sua localidade, Justina é detentora da habilidade de agregar pessoas e solidariedade. É uma líder orgânica que transpira poesia no seu modo de viver. Em suas próprias palavras, deixa um recado para as pessoas, em especial os mais novos: " Eu não aprendi a ler; mas eu aprendi a sabedoria; o amor; a roupa não é nada; o que importa é o que temos dentro de nós".

Naine Terena 



A força da maestria de Naine Terena de Jesus,  indígena do Povo Terena, está na possibilidade de promover conexões e reconexões, no esforço em escrever novas histórias, tirando da invisibilidade grupos considerados periféricos como indígenas e mulheres. Sua atuação baseia-se no compartilhamento dos conhecimentos e na manutenção das memórias ancestrais, assim como também na luta pela geração de renda, sustentabilidade e superação de traumas e processos que adoecem a sociedade. A arte para ela é um dos caminhos para isso, além da atuação nas ciências e ocupação de espaços em diversas camadas sociais.  

Pedro Boaventura e Deijanil Nascimento - do Grupo Patuchá Cururu e Siriri 



Quando anunciados como mestres, choveram lembranças de pessoas que se fizeram presentes na trajetória deste casal, que movimentou a cultura popular de Chapada dos Guimarães a partir do cururu e siriri. Considerada uma grande família o Patuchá, promoveu a interação entre os moradores da cidade turística com sua própria história/cultura, resguardando o aspecto afetivo e humano de seus moradores. Um exemplo de como a cultura pode movimentar memórias ao mesmo tempo em que fomenta trocas criativas entre jovens e adultos.  

Vital Siqueira



Um expoente das artes cênicas de Mato Grosso. Vital tem uma trajetória que se iguala a própria história desse fazer artístico no estado, já que soma mais de 30 anos de profissão. Personagens como Comadre Pitú povoam o imaginário de gerações e agrega nele um típico linguajar das artes da baixada cuiabana. Vital, transfigura a comicidade misturada com a alegria típica de nosso povo, num misto de criticidade à sociedade em que vivemos.  
Entre em nosso grupo de WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Comentários no Facebook

Redes Sociais

Sitevip Internet