Olhar Conceito

Segunda-feira, 23 de novembro de 2020

Notícias / Comportamento

Loja se destaca após anunciar vagas de emprego para mulheres acima do peso e com mais de 40 anos

Da Redação - Fabiana Mendes

30 Out 2020 - 15:25

Foto: Assessoria

Loja se destaca após anunciar vagas de emprego para mulheres acima do peso e com mais de 40 anos
A divulgação de uma vaga de emprego para mulheres acima do peso e com mais de 40 anos chamou atenção e gerou muitos elogios de internautas nas redes sociais. Pesquisas apontam que, sete em cada dez empresários no Brasil, não aceitam empregar pessoas acima do peso. Mas a dúvida é: por quê?

Leia mais:
Pancho Villa comemora Día de Los Muertos com apresentação de cantor finalista do The Voice Argentina

A proprietária das Lojas Bebel, Herika Nayllon, de 30 anos, começou a divulgar a oportunidade de emprego na última quarta-feira (27). E o que mais chamou a atenção dos internautas foi a descrição de que as vagas são ofertadas para todo tipo de mulher, inclusive, para as mulheres acima do peso que, por muitas vezes, são excluídas da grade de funcionários.

“Vejo como uma necessidade os recrutadores levar em consideração a parte intelectual e não física do candidato, porque nós sabemos que o preconceito entre os gordos é evidente, principalmente, nas entrevistas de emprego. Se tem um gordo e um magro disputando a mesma vaga, certamente a vaga irá para a pessoa mais magra, e infelizmente, nós convivemos até hoje com conceitos pré-formados, que as pessoas gordas elas são mais lerdas, mais preguiçosas. É uma triste realidade só que é algo muito verdadeiro, contudo, nós devemos entender que a capacidade de raciocínio ela independe da condição física do indivíduo”, completa a empresária.

Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), 55,7% da população tem excesso de peso. Tendo um aumento de 30,8% quando comparado com percentual de 42,6% no ano de 2006. O aumento foi maior entre as faixas etárias de 18 a 24 anos, com 55,7%. Quando verificado o sexo, os homens apresentam crescimento de 21,7% e as mulheres 40%.

Essa restrição atinge todas as profissões. Muitos empresários acham, por exemplo, que é ruim para a imagem da companhia ter uma vendedora ou recepcionista, ‘gordinha’. 

Em trajetória, Herika afirma que nunca levou em consideração o fator peso para contratar alguém ou não. Para fazer parte do seu quadro de funcionários existe outros aspectos que ela leva em consideração, tais como proatividade, comunicação, responsabilidade. Conforme ela, essas habilidades são mais importantes que o aspecto físico da candidata.
 
“Como eu trabalho com o público Plus Size, eu sinto a necessidade de ter alguém a cima do peso fazendo parte da minha equipe. Isso automaticamente cria uma conexão com as clientes que visitam a minha loja, porque elas se sentem representadas, se sentem acolhidas, porque aquela vendedora entende tudo o que ela passa”, relata a empreendedora.
 
Atualmente o Instagram da loja conta com 69,8 mil seguidores e a empresária recebeu diversos comentários positivos. “Me dói muito ler comentários, que mostram o quando o mercado é preconceituoso”, acentua Herika. Um comentário mostrado pela CEO relata a dificuldade e a vergonha que muitas mulheres têm.

“Parabéns, por colocar que pessoas gordinhas são bem-vindas em seu quadro de colaboradores. Estou em busca de um trabalho e estava com vergonha de ir levar o meu currículo justamente porque sou gordinha, e quase sempre pessoas gordinhas sofrem por não conseguir um trabalho justamente por ser gordinha”, finaliza a seguidora.

Comentários no Facebook

Redes Sociais

Sitevip Internet