Olhar Conceito

Sexta-feira, 27 de novembro de 2020

Notícias / Moda

Cuiabanas se unem para criar marca de camisetas feitas com tecido de garrafa pet

Da Redação - José Lucas Salvani

21 Out 2020 - 11:10

Foto: Reprodução

Cuiabanas se unem para criar marca de camisetas feitas com tecido de garrafa pet
As consultoras de estilo cuiabanas, Amanda Hanna e Priscila Previato, de 29 e 30 anos, respectivamente, se uniram para criar uma marca de camisetas sustentáveis, feitas a partir de tecido de garrafa pet e algodão orgânico. A marca Romanah Hand Made surgiu há cerca de um mês e visa promover um consumo mais sustentável que não contribua para a indústria da moda que gasta cerca de 7 mil litros de água para a produção de uma camiseta branca.

Leia mais:
Anitta leiloa roupa usada em videoclipe para arrecadar fundos para o Pantanal

“Nós temos uma marca de t-shirt sustentável, que [é feita com] tecido de garrafa pet reciclável e algodão 100% orgânico", detalha Amanda ao Olhar Conceito. A marca também tem como propósito reutilizar resíduos têxteis de outras peças e possui camisetas com frases de impacto, positivas, engraçadas e de esperança. “São todas bordadas. Não utilizamos estamparia. O nosso método é com bordado mesmo”, completa.

As camisetas ainda possuem a opção de serem personalizadas com iniciais de nome e também é possível fazer a personalização para empresas. Neste último caso, é preciso fazer um pedido acima de cinco camisetas. 
 

A marca deve se manter focada na linha de camisetas e não tem planos de expandir para outros peças de roupa tão cedo. A linha feminina e infantil já estão disponíveis para comprar, enquanto a linha masculina deve ser lançada nas próximas semanas. Confeccionadas a mão, as peças tem um preço fixo de R$ 105, do tamanho P ao GG.

“Eu e minha sócia já trabalhávamos com moda sustentável. Sempre pregamos a reutilização do que tem, ao invés de comprar novo. (...) A produção de uma camiseta é muito prejudicial ao planeta. Uma camiseta branca mesmo, para sua produção é utilizado 7 mil litros de água, além de trabalhos análogos a escravidão. Encontramos esse nicho e uma coisa que tem relação com o que queremos trabalhar e pregamos”, detalha Amanda.

Ela e Priscila são ambas consultoras de estilo. Enquanto Amanda é focada em upcycling, uma técnica que transforma roupas usadas em outras peças, Priscila é focada em consultoria de estilo e imagem, como também é co-fundadora do Closet Maria Dolores, que é um closet compartilhado, com a disponibilidade de aluguel de roupas e outros acessórios de moda.

Para entrar em contato com a Romanah, basta acessar o seu Instagram @use.romanah.

Comentários no Facebook

Redes Sociais

Sitevip Internet