Olhar Conceito

Segunda-feira, 10 de agosto de 2020

Notícias / Comportamento

Doutor em psicologia na UFMT cria teste que 'mede' altruísmo, gratidão e disposição para perdoar

Da Redação - Isabela Mercuri

18 Jun 2020 - 11:03

Foto: Reprodução

Doutor em psicologia na UFMT cria teste que 'mede' altruísmo, gratidão e disposição para perdoar
Um teste que mede o altruísmo, disposição para perdoar e gratidão na personalidade das pessoas foi desenvolvido pelo professor Renan Monteiro, doutor em psicologia social, da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) em parceria com outras instituições nacionais e internacionais.

Leia também:
Programação traz discussão sobre diáspora haitiana no Brasil, rota da ancestralidade negra e mais

O instrumento se chama ‘Inventário de Personalidade Prossocial (IPP+)’, e é do tipo objetivo e de autorrelato. Quem quiser participar precisa ler as instruções e indicar em que medida cada um dos 18 itens o descreve, em uma escala de 5 pontos (1 para não me descreve em nada e 5 para me descreve totalmente).

O teste está disponível para visualização em artigo publicado no Journal of Happiness Studies e, em breve também estará no site do Laboratório de Instrumentação Psicológica (LIP), que é coordenado pelo professor Renan.

De acordo com a assessoria da UFMT, o objetivo é que a ferramenta seja utilizada em pesquisas de diversas áreas que busquem estudar essas características chamadas de "prossociais".

Renan Monteiro explica que esses traços de personalidade descrevem pessoas que pensam e agem em benefício da sociedade, com orientação prossocial (o oposto de antisocial) e foco interpessoal, baseando-se em respeito mútuo e reciprocidade, sendo assim essenciais para o estabelecimento de laços mais coesos entre as pessoas.

"Mapear e identificar traços positivos possibilita verificar em que medida contribuem para a potencialização de forças e virtudes, aumentando, consequentemente, a qualidade de vida. Altruísmo, gratidão e perdão associam-se aos mais variados desfechos positivos (e.g., bem-estar, otimismo, afetos positivos), tendo implicações em diferentes áreas", explica.

Além disso, o professor acrescenta que a influência dessas características pode ser observada em diversas esferas, como na saúde, na gestão de pessoas, no contexto escolar e em outros. "Nas organizações, os traços positivos da personalidade aumentam o engajamento laboral e reduzem comportamentos contraproducentes. Nas escolas, sobretudo em razão dos crescentes casos de bullying, promover estratégias de promoção de traços positivos pode auxiliar na redução de comportamentos agressivos entre os colegas".

A pesquisa foi desenvolvida em parceria com os pesquisadores Valdiney Gouveia e Isabel Cristina Vasconcelos de Oliveira, da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), Alex Sandro de Moura Grangeiro, da Universidade Federal do Ceará (UFC) e Gabriel Lins de Holanda Coelho, da UFPB e do University College Cork (Irlanda).

Renan é professor do Departamento de Psicologia da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) na área de fundamentos e medidas da Psicologia, mestre e doutor em Psicologia Social pela Universidade Federal da Paraíba (UFPB).

9 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Conceito. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Conceito poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Gonçalo Poconé
    01 Jul 2020 às 22:32

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

  • Gonçalo Poconé
    20 Jun 2020 às 19:32

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

  • Ludmila
    19 Jun 2020 às 11:13

    Para quem não compreende a importância desses estudos, que acham que doutores das ciências humana e sociais não tem serventia, percebam que estás ferramentas de estudos são utilizadas principalmente por grandes multinacionais e corporações para determinar se tal candidato a vaga de trabalho se encaixa ou não dentro da empresa ou vocês acham que as ferramentas de seleção pelos RH são criadas aleatoriamente, sem embasamentos? Aí tem gente que diz que o MEC desperdiça dinheiro destinando recursos para pesquisas nestas áreas... Mal sabe a importância que o mundo globalizado dá a estes estudos...

  • antonio da silva
    19 Jun 2020 às 09:06

    Só gastou dinheiro público.

  • joana
    18 Jun 2020 às 20:04

    utilidade???

  • Presidente XXXVIII
    18 Jun 2020 às 13:04

    Kkkkkk Marcelo vc deve estar sonhando demais com o larápio até grita em sonhos: lula livreeeeee. Vá te catar rapaz.

  • Joaquim Cuiabano
    18 Jun 2020 às 12:34

    Como uma pessoa tem coragem de fazer um comentário deste. Temos que parabenizar este Professor e Doutor não falar besteira. Você deve ser uma pessoa burra e ignoraste.

  • Jully Esther
    18 Jun 2020 às 12:31

    Meu Deus como existem pessoas sem noção e conhecimento, talvez este cara que fez este comentário tão medíocre nem sabe o que é Autista ou Autismo, vá se informar seu sem cultura e coração pra fazer um comentário deste.

  • Marcelo Estrela
    18 Jun 2020 às 11:41

    Mi mi mi de coxinhas

Redes Sociais

Sitevip Internet