Olhar Conceito

Notícias / Política Cultural

Prefeito faz videoconferência com setores do comércio, restaurantes e hoteis para discutir ações

Da Redação - Isabela Mercuri

01 Abr 2020 - 14:24

Foto: Luiz Alves / Prefeitura de Cuiabá

Prefeito faz videoconferência com setores do comércio, restaurantes e hoteis para discutir ações
Representantes dos shopping centers de Cuiabá, da Associação Comercial e Federação das Indústrias do Estado de Mato Grosso, Sindicato dos Estabelecimentos de Ensino de Mato Grosso, além do Sindicato de Hotéis, Bares e Restaurantes e Associação Brasileira de Bares e Restaurantes se reuniram, via videoconferência, na manhã desta quinta-feira (1) com o prefeito Emanuel Pinheiro (MDB) para dialogar sobre as necessidades de união de esforços na prevenção à disseminação do Coronavírus.

Leia também:
Quatro dos seis hotéis de rede pioneira de Mato Grosso tem atividades suspensas

Durante as discussões, Lorenna Bezerra, da Abrasel, reafirmou seu compromisso e apoio às ações já executadas, e apresentou ao prefeito um planejamento elaborado para evitar a propagação do vírus, destinado aos funcionários e empresários, assim como para o público em geral.

Emanuel, por sua vez, destacou a importância das medidas, ainda que drásticas, para que a população entenda que todo sacrifício temporário é necessário. “Não temos uma medida mais emergencial do que fazer com que as pessoas permaneçam em casa, que garantam o isolamento social. As projeções apontam que o cenário mais preocupante de transmissão ocorrerá entre 10 de abril e 10 de maio e trabalhamos para evitar que Cuiabá chegue a esse pico. Nossos esforços são executados justamente para evitar esse cenário”.

“Todos somos responsáveis nesse momento de turbulência social. Por isso a importância da manutenção desse diálogo. Preciso ouvir críticas e as sugestões dos setores. A parceria é, mais do que nunca, fundamental. Precisamos ampliar o diálogo, ouvir os setores”, completou.

O prefeito anunciou que busca formatar ações para proteger a saúde e a vida da população. Até o momento, sete decretos já foram editados versando sobre a adoção de medidas preventivas. “Literalmente estamos trocando o pneu com o carro em movimento. Não estávamos preparados para esse cenário. Posso pecar por excessos, mas jamais por omissão”, finalizou.

Participaram da reunião também o secretário de Governo, Lincoln Tadeu Sardinha e o presidente da Câmara Municipal de Cuiabá, Misael Galvão.

5 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Conceito. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Conceito poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • mirandinha do cpa
    04 Abr 2020 às 10:06

    sou lojista aqui no cpa em tempos normais nao atendo mais quee 20 clientes por dia e sou obrigado a permanecer fechado quanto que as lojas de materias de construcao sao maiores com fluxo de pessoas maior com poder aquisitivo muito maior estao abertas. sera que o virus esta rondando nos pequenos comercios.

  • Moises
    01 Abr 2020 às 20:51

    concordo com o PAGADOR de IMPOSTOS... o do paletó deve, no mínimo, prorrogar as duas primeiras parcelas, jogando-as para o final ..!

  • PAGADOR DE IMPOSTOS SEM RETORNO
    01 Abr 2020 às 19:07

    E O IPTU VAI PRORROGAR QUANDO AS ALIQUOTAS SÃO ALTAS DEMAIS E OS JUROS ABUSIVOS DEMAIS ,SEM VENDA COMO VAMOS PAGAR ?

  • Andreia
    01 Abr 2020 às 17:09

    Esses empresários não tem força o suficiente para resolver isso?? Já q esse paletó só quer saber de palanque... o genocídio não será só por conta do vírus....

  • Rafael
    01 Abr 2020 às 16:05

    O mais engraçado e que o seu Zé não pode abrir seu comércio,mas, a AmBev, Votorantim e as empresas de construção estão com seus canteiro a todo vapor e sem esquecer da solar energia, será que este povo são imunes ao vírus..... Ai vem falar que não é jogo político entre governo federal estadual e municipal quem manda mais e quem se lasca é o trabalhar que os boletos não para de chegar e ainda pode ter uma grande surpresa de ser mandando embora por conta da crise..

Redes Sociais

Sitevip Internet