Olhar Conceito

Segunda-feira, 24 de fevereiro de 2020

Notícias / Política Cultural

Prefeitura estuda revisar a Lei do Silêncio, diz Emanuel em reunião com a classe artística

da Redação - Isabela Mercuri

13 Fev 2020 - 17:10

Foto: Reprodução / Ilustração

Prefeitura estuda revisar a Lei do Silêncio, diz Emanuel em reunião com a classe artística
A Prefeitura de Cuiabá estuda alterar a Lei n° 3819/1999, mais conhecida como ‘Lei do Silêncio’. Esta foi a declaração dada por Emanuel Pinheiro (MDB) em reunião realizada na última quarta-feira (12) com membros da Ordem dos Músicos de Mato Grosso, a presidente da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel- MT), Lorena Bezerra, o presidente da Câmara Municipal de Cuiabá, vereador Misael Galvão (PTB) e o vereador Vinicyus Hugueney (PP). Segundo o prefeito, ainda serão ouvidos os diversos setores envolvidos nesta questão.

Leia também:
Lei do Silêncio pode ser alterada após pedidos dos músicos de Cuiabá

“A Prefeitura já está estudando a revisão dessa legislação que já tem 21 anos de vigência e, desde então, nunca houve alteração. Para trabalharmos nesse contexto queremos ouvir os setores e a nossa equipe irá estabelecer quais são as normas técnicas que precisam ser cumpridas. De maneira geral, precisa haver um equilíbrio onde a ordem pública seja estabelecida tanto para aqueles que necessitarem da legislação como para aqueles que devem seguir os parâmetros regulamentados”, explicou.

Recentemente, após uma apreensão de som realizada na Praça da Mandioca, a Ordem dos Músicos do Brasil (OMB) e a Abrasel procuraram a Câmara de Vereadores com a revindicação de que a Lei, que já existe há 21 anos, fosse modificada.

A revolta aconteceu após os amplificadores de som de um quarteto que realizava um show de jazz no último dia 8 de janeiro no Fuzuê Bar e Boemia, na Praça da Mandioca, serem apreendidos. A apreensão aconteceu após denúncias realizadas por vizinhos pelo Disque Silêncio.

Na reunião da última quarta (12), foram debatidas as ações da Prefeitura de Cuiabá no combate e a fiscalização à poluição sonora, além de melhorias ao trabalho desempenhado.

“O intuito desse agenda institucional é trabalhar em consenso entre as partes principalmente da população, para que a gente faça uma remodelação da lei do silêncio, mas mantendo o equilíbrio. Estamos definindo uma data para fazermos audiência pública e pretendemos  entregar para população uma lei mais flexível e que não afete tanto o comércio que também gera emprego, renda e desenvolvimento para nossa capital”, defendeu Misael.

A Lei do silêncio, de n° 3819/99 dispõe sobre padrões de emissão de ruídos, vibrações e outros condicionantes ambientais e dá outras providências. A fiscalização em Cuiabá é realizada pela Secretaria Municipal de Ordem Pública.

8 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Conceito. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Conceito poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Clara
    14 Fev 2020 às 09:37

    Não só a lei do silencio que tem que existir , precisa de ter uma fiscalização não sei por parte de quem cabe, mais no bairro duque de Caxias é uma verdadeira bagunça, com bares que estão tomando conta da rua com mesas e cadeiras que as vezes torna-se intransitável, música alta e não temos nenhuma fiscalização quanto a isso.

  • SOM ALTO PARA MISAEL GALVÃO
    14 Fev 2020 às 07:12

    Assim que a lei for alterada, vamos abrir um bar, uma boate e uma casa de funk vizinhos à casa do nobre vereador Mísael Galvão. Ação e reação.

  • Margarida
    14 Fev 2020 às 06:21

    "LEI MAIS FLEXÍVEL"? EM alguns lugares onde existem bares é praticamente impossível dormir, não temos paz, de tanto barulho feito pelos bares, lanchonetes e encontros de racha de som. Senhores vereadores coloquem a mão na consciência, as pessoas precisam de paz, de silêncio e não de barulho, perturbação. A população já é tão massacrada pelo barulho do trânsito, lojas , mercados , todos com sons acima do que deve ser. RESPEITO é o que pedimos.

  • Caique
    13 Fev 2020 às 22:42

    Experimenta trabalhar o dia todo, e chegar em casa e ter um som alto batendo nos seus ouvidos até 06:00 do outro dia. Silêncio!

  • Marcos
    13 Fev 2020 às 21:51

    Realmente está atrasada sim Deveriam proibir sons que não passem dos decibéis padrões Se for acima Destruí -los Seja aonde for O sossego do cidadão Não tem preço Em veículos até que estejam andando Tirar o aparelho e passar um trator em cima Simples assim Fui

  • NILDO
    13 Fev 2020 às 21:09

    Ê Brasil, aqui alguns grupos sempre são beneficiados em detrimento da maioria...

  • Moacir
    13 Fev 2020 às 20:10

    A lei nunca vai caducar, os ouvidos sempre continuarão sensíveis e a maior das leis é NAO FAÇAS AO PRÓXIMO O QUE VC NÃO QUER QUE FAÇA A VC outra O DIREITO SEU VAI ATE ONDE COMEÇAR O DO OUTRO se quiserem fazer barulho terão que entrar em local acústico e pronto.

  • wagner
    13 Fev 2020 às 18:57

    Classe artística?? tem que ouvir os moradores que querem e tem o direito de descansar isso sim.

Redes Sociais

Sitevip Internet