Olhar Conceito

Segunda-feira, 09 de dezembro de 2019

Notícias / Diversão e Lazer

Cuiabá pode não ter festa de réveillon por falta de patrocínios e de apoio do governo Bolsonaro, diz secretário

Da Reportagem Local - Wesley Santiago / Da Redação - Isabela Mercuri

03 Dez 2019 - 14:28

Foto: Produtora Caze/ Divulgação

Réveillon na Orla do Porto

Réveillon na Orla do Porto

A virada de ano de 2018 para 2019 foi histórica, com três dias de festa, diversos shows nacionais, quinze minutos de fogos e grande estrutura. Desta vez, no entanto, a população pode esperar algo bem menor – e se houver. Segundo o secretário de Cultura, Esporte e Turismo do município, Francisco Vuolo, a festa corre riscos por falta de patrocínio, e não será tão celebrada quanto foi o réveillon dos 300 anos.

Leia também:
Réveillon na Orla custou R$625 mil; Valor foi pago pelo Ministério do Turismo, Assembleia e empresas

“Com certeza não será com a mesma estrutura do ano passado, mas não está definido nada ainda, não fechamos em razão das prioridades de final de ano”, disse ao Olhar Conceito “Com os investimento que foi feito na área da saúde, o Prefeito priorizou algumas áreas, e hoje em dia a questão de viabilizar patrocínio para um evento dessa grandiosidade não está fácil, por isso que nós não geramos uma expectativa nesse sentido. E também com a mudança do governo federal e a entrada do Bolsonaro ficou mais difícil de conseguir captar recursos do governo federal, como eu fiz ano passado para apoiar eventos desse porte”.

Em 2018, a festa de réveillon na Orla do Porto, que durou três noites, teve um custo total de R$625 mil. Oitenta por cento deste valor (R$500 mil) foi pago por meio de um repasse do Ministério do Turismo (MTur), e o restante pela Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso (ALMT), por meio de emenda impositiva e por empresas privadas que patrocinaram a festa. Segundo Vuolo, os esforços foram grandes porque a festa marcava a entrada do ano dos 300 anos da capital.

A festa reuniu cerca de 70 mil pessoas entre os dias 29 de dezembro e 01 de janeiro de 2019. De acordo com a assessoria, os cantores e bandas contemplados estavam regularmente cadastrados junto ao MTur, que avalia os preços cobrados por apresentação e os submete a um processo de inexigibilidade, viabilizando a contratação.
 
Para este ano, a programação de Natal da Prefeitura também ainda não foi anunciada, mas vai acontecer. De acordo com o secretário, ela será lançada pela primeira dama e pelo prefeito na próxima semana.

28 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Conceito. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Conceito poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • WALISON
    04 Dez 2019 às 16:47

    tomara de seja verdade, que o dinheiro seja aplicado em outras areas mais importantes.

  • BENEDITO LIMA FERREIEA
    04 Dez 2019 às 08:41

    Ainda bem ... que isso também seja feito no carnaval e outras festas bancadas com dinheiro publico. Acabou a farra!!

  • edesio rodrigues
    04 Dez 2019 às 02:50

    GRAÇAS A DEUS, ATÉ QUE ENFIM

  • Tomaz
    03 Dez 2019 às 23:12

    Ainda bem que não vai haver nada, dinheiro público não é pra ficar fazendo festa e enchendo bolso de artista, e mais outra coisa, pra que serve essas festas ? Só pra propagar doenças sexualmente transmissíveis, por mim que acabe com todos e invista em saúde pra quem necessita.

  • Zé do Buteco
    03 Dez 2019 às 21:04

    É uma vergonha gastar dinheiro público com festas. É preciso cuidar primeiro da cidade.

  • Ademir
    03 Dez 2019 às 20:48

    Eventos destes tem de ser aporte privado, bebidas, comidas, agora acabou o fingimento, como a Pátria Educadora do PT, que só fez semi analfabetos e últimos na avaliação do PISA internacional, temos de ter dinheiro público não para pão e circo, e sim educação, saúde e segurança, acabou bravatas esquerdoppattas!!

  • Vanderlei
    03 Dez 2019 às 20:30

    Jair volta pra escola . Não dá pra entender quase nada que vc quis dizer

  • jair
    03 Dez 2019 às 18:07

    pode observar aki o quanto sao pessoas desinformadas a a teta acabou que dinheiro pra saude Meu Deus que humanos sao esses a mamata acabou pra vc que nem carne pode comer mais que nen saúde tem nem.educacao alias nen festa se liga larga der seres idiotas ou sao tapados

  • patriota brasil
    03 Dez 2019 às 17:52

    Querem festas fazem com seus dinheiro...dinheiro publico não é para fazer festas.

  • Zeca
    03 Dez 2019 às 17:43

    O poder público precisa patrocinar apenas festas cívicas. Festas populares como Revellion, Carnaval, Festivais de música, etc. que sejam por conta de patrocinadores da iniciativa privada e cobrado do público espectador.

Redes Sociais

Sitevip Internet