Olhar Conceito

Sábado, 31 de outubro de 2020

Notícias / Cinema

Produzido em Cuiabá, filme com trilha de Karol Conka discute racismo

Da Redação - Isabela Mercuri

30 Jul 2018 - 14:05

Foto: Arquivo Pessoal

Equipe

Equipe

O curta-metragem ‘Como ser racista em dez passos’ tem sua pré estreia na próxima quinta-feira (2) no Cineclube Coxipónés, a partir das 19h. Dirigido e produzido pela carioca Isabela Ferreira, o filme partiu de uma disciplina do curso de Rádio e TV da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) e foi feito de forma independente, mas acabou extrapolando o espaço acadêmico. Com 25 minutos de duração, a obra contou com o apoio de diversos artistas, como Karol Conka, Preta Rara, Pachana e Costak, que estão na trilha sonora.

Leia também:
Curta independente de equipe feminina alerta sobre relacionamento abusivo

Isabela é carioca, mas veio para Cuiabá em 2015, quando ingressou na Universidade. No início deste ano, em seu sétimo semestre, quis colocar em prática um projeto de roteiro. “Eu tentei fazer sozinha e não consegui. Juntei a equipe, e cada um ficou responsável por uma parte”, explicou ao Olhar Conceito.

Junto à Isabela, estão Neto Costa, produtor executivo, Rodolfo Luiz, na fotografia, Anna Maria Moura, figurinista e produtora, e Gabriel Oliveira, o único que já é formado na equipe. Além de trabalharem com audiovisual, os cinco têm mais uma característica em comum: são todos negros. “É um roteiro muito sensível, seria difícil trabalhar e falar sobre racismo com uma equipe que não passasse por isso. E isso criou um laço entre a gente”, explica a diretora.

O filme tem um roteiro ficcional. No entanto, segundo Isabela, todas as histórias relatadas são de situações reais. “Eu acho que é bem isso mesmo, de ter vivido, que deu a vontade de fazer o projeto. Tudo o que está lá são histórias minhas. O Gabriel também apresentou uma história dele. O filme é como um desabafo”.

Depois que finalizou o roteiro, a equipe decidiu entrar em contato com pessoas que poderiam ajudar na trilha sonora, e conseguiu o apoio de várias. “A gente mandou o projeto e eles foram super atenciosos. A Preta Rara respondeu na mesma hora, a Karol Conka me ligou. Agora estamos tentando fechar com o Emicida, mas ainda faltam algumas partes burocráticas”, explica Isabela.



A diretora conta que não imaginava que teria tanta repercussão. “Eu estava participando de outro curta, o ‘Controvérsias’, e eu senti essa diferença na divulgação. Acho que porque a temática negra não faz tanto sucesso quanto a outra”, lamenta. ‘Controvérsias’ é um curta metragem sobre relacionamento abusivo.

Quem quiser assistir a ‘Como ser racista em dez passos’ pode ir ao Cineclube Coxiponés na próxima quinta-feira (2), ou aguardar a Mostra de Audiovisual Universitário da América Latina (Maual), na UFMT, em outubro. Depois disso, o curta será inscrito em outros festivais pelo mundo.



Serviço

Pré-estreia “Como ser racista em dez passos”
Quinta-feira, 2
Horário: 19h
Local: Cineclube Coxiponés (UFMT)
Entrada franca

Comentários no Facebook

Redes Sociais

Sitevip Internet