Olhar Conceito

Sábado, 31 de outubro de 2020

Notícias / Dr. Elson Adorno - Cirurgia Plástica

Cirurgião fala sobre a rinomodelação, procedimento não cirúrgico para corrigir defeitos do nariz

Elson Adorno

05 Abr 2018 - 11:02

Foto: Reprodução / Ilustração

Cirurgião fala sobre a rinomodelação, procedimento não cirúrgico para corrigir defeitos do nariz
É o procedimento não cirúrgico para corrigir defeitos do nariz, tais como dorso, ponta caída, assimetrias, dentre outros, usando preenchimento com ácido hialurônico. A substância é muito segura, reabsorvível e não apresenta potencial de rejeição por estar presente na estrutura normal do organismo. O objetivo é a melhora da estética da pirâmide nasal em uma ou mais sessões para esculpir o nariz. A anatomia do nariz é extremamente importante por ser o ponto central, de equilíbrio e harmonia de toda a face.

Leia também:
Cirurgião plástico fala sobre cirurgias íntimas a laser para diminuição dos lábios vaginais

A estética do nariz é motivo de preocupação para muita gente. Até pouco tempo, pensar em corrigir defeitos do nariz era pensar em submeter-se à cirurgia. Quantas pessoas deixam de realizar o sonho de remodelar o nariz por medo do bisturi?

A rinomodelação é procedimento não cirúrgico que pode ajudar a modelar o nariz, deixando o rosto mais harmônico e equilibrado.

Pode ser feito assim que houver o crescimento completo da face. Sendo assim, o procedimento pode ser feito já na adolescência, desde que haja consentimento por escrito dos responsáveis pelo paciente. Para os pacientes que se recusam a cirurgia ou não são candidatos à ela, devido a comprometimentos sistêmicos, a rinomodelação é uma opção não cirúrgica para os problemas nasais. Para saber se seu caso permite realizar este procedimento minimamente invasivo, é necessário fazer uma avaliação com seu cirurgião plástico membro especialista da sociedade Brasileira de cirurgia plástica. 

O procedimento não se aplica a todos. Algumas condições nas quais intervenções cirúrgicas serão necessárias, tais como em casos onde a função nasal está comprometida. No entanto, é uma luz para quem ainda não criou coragem para se operar, não pode se afastar de suas atividades ou não está no momento com condições financeiras de arcar com uma rinoplastia.

*Elson Adorno é especialista pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica e em Cirurgia Plástica pelo MEC, preceptor do Programa de Residência Médica De Cirurgia Plástica do Hospital de Base de Rondônia, docente do curso de medicina do UNIVAG, diretor e coordenador do curso Advanced Trauma Life Support-ATLS, Núcleo Campo Grande/Cuiabá; instrutor do curso Pré Hospital Trauma Life Support, Núcleo Campo Grande; instrutor do curso Disaster Management and Emergency Preparedness Course- DMEP, Núcleo USP/HC-São Paulo e Instrutor do Curso Nacional de Normatização de Atendimento ao Queimado-CNNAQ.​

Foto: Rogério Florentino / Olhar Direto


Comentários no Facebook

Redes Sociais

Sitevip Internet