Olhar Conceito

Quinta-feira, 29 de outubro de 2020

Notícias / TV

"Um caso típico de homem machista", diz promotora sobre o caso do cirurgião do BBB

Da Redação - Isabela Mercuri

12 Abr 2017 - 16:05

Foto: Reprodução / EGO

Marcos na delegacia

Marcos na delegacia

A violência contra a mulher, o assédio verbal e sexual estiveram em pauta nas últimas semanas na maior emissora de televisão do Brasil. No mesmo mês, um ator foi afastado por assédio sexual de uma figurinista, um apresentador foi suspenso por piadas machistas e, na última segunda-feira, o cirurgião Marcos Harter, que atua em Sorriso, foi expulso do Big Brother Brasil após agredir Emily, outra participante, física e psicologicamente.

Leia também:
Expulso do BBB por agressão, Marcos culpa programa por estar no “limite emocional”

Para a Promotora de Justiça Lindinalva Rodrigues, os últimos acontecimentos mostram uma realidade: a discussão está à tona, e cada vez mais o machismo será rechaçado. “Parece que a Rede Globo, depois de décadas perpetuando o machismo em horário nobre, resolveu dar um basta, e veio com tudo. Do suposto assédio sexual praticado por um de seus célebres atores à punição do riso do machismo, tido como concordância e banalização de um de seus apresentadores, à expulsão de um membro do reality show que conseguiu chegar em sua reta final, logo, deve ser querido pelo público , tal como o ator e o apresentador são e continuarão sendo”, afirmou, em entrevista ao Olhar Conceito.


Lindnalva Rodrigues (Foto: Rogério Florentino / Olhar Direto)

Apesar da pouca informação acerca do caso, já que, como explica a promotora, a principal forma de entender o que aconteceu é o depoimento da vítima (ao qual ela não teve acesso), Lindinalva enxerga que é ‘mais um’. “Do pouco que vi se observa um caso típico de homem machista, que necessita exercer controle sobre a parceira com repugnante sentimento de posse, o que tende a se agravar em todo tipo de relacionamento”, afirma.

“Sem querer, a Globo colocou em pauta a desigualdade das relações de gênero, o poder do masculino sobre o feminino, e como essa superioridade é buscada o tempo todo e a qualquer preço em relações abusivas”, complementa Lindinalva. “O pior é que o machismo é tão naturalizado que o participante, criado desta forma, nem se deu conta de sua má conduta e que ela estava sendo filmada e revelada para todo o Brasil”.

Marcos foi expulso depois que a diretora da Divisão de Polícia de Atendimento à Mulher do Rio de Janeiro (Deam), Marcia Noeli Barreto, visitou a casa e determinou o registro de ocorrência, após ver as imagens de mais uma briga entre os dois e, principalmente, quando a jovem diz ter sido machucada pelo médico.
 
Natural do Rio Grande do Sul, Marcos escolheu trabalhar em Mato Grosso, onde atendia não só em Sorriso, mas também no eixo agrícola, entre Sinop, Lucas do Rio Verde, Nova Mutum e até mesmo na capital, Cuiabá, onde tem clínicas espalhadas. Na capital, ele já atendeu nos hospitais Santa Rosa, Santa Helena, São Matheus e Jardim Cuiabá. 

De acordo com o site EGO, nesta quarta-feira (12), o ex-BBB foi à Delegacia de Atendimento à Mulher), em Jacarepaguá, no Rio de Janeiro, prestar depoimento sobre o ocorrido.

Na última terça (11), ele escreveu um texto no seu Instagram se defendendo das acusações. Veja:

“Como todo casal passamos por momentos de alegria, ansiedade, euforia e tensão. Jamais tive a intenção de machucar física ou emocionalmente uma pessoa pela qual nutri tanto carinho e afeto. O programa tem um formato destinado a levar nosso emocional ao limite e consequentemente os nervos à flor da pele. Repito: Jamais tive a intenção de machucá-la ou agredí-la, estou surpreso com tudo que está acontecendo. Peço desculpas a todos os envolvidos, Emilly, sua família, demais participantes e a todo o Brasil”.

Comentários no Facebook

Redes Sociais

Sitevip Internet