Olhar Conceito

Sábado, 04 de dezembro de 2021

Colunas

A palavra e seus poderes...

Autor: Isolda Risso

01 Out 2015 - 09:28

Arquivo Pessoal

Dia desses eu me encontrava em uma sala de espera e em uma das paredes da sala continha um grande quadro.

Palavras como fé, esperança, alegria, bondade, paz, liberdade e coragem compunham o painel e dividia o espaço com imagens correspondentes ao sentido de cada palavra.

Enquanto esperava, fiquei absolutamente envolvida por aquela tela, mergulhando em cada palavra, observando o que ela despertava em mim.

Depois de ser atendida, voltei para casa ainda sob o impacto daquelas palavras e como sempre faço quando algo me chama a atenção fui em busca de me informar um pouco mais .

Peguei meu dicionário etimológico ( sim eu ainda faço uso do dicionário tradicional) não abro mão de certas coisas e depois fui futricar na internet a origem da palavra.

O termo palavra, deriva originalmente do grego (parabolé) tomada em prestada pelo latim que gerou (parábola).
Depois da origem fui futricar um pouco mais e cai em uma pagina que discorria sobre a neurolinguistica e a física quântica.

Ambas vem comprovando que quando falamos, de certa forma estamos traçando o nosso destino, resultando assim em nosso sucesso ou insucesso, saúde ou doença, alegria ou tristeza, bem ou mal.

O que determina um fato ou outro, é a qualidade dos nossos pensamentos, expressado pela fala ou não.
A palavra edifica, encoraja, acolhe, consola.
A palavra tem o poder de gerar atitudes, mudar comportamentos, transformar vidas.

Assim como alfineta, fere, calunia.
Pelas palavras surgem os discursos que iludem, enganam.
Com palavras o homem mente, distorce, escamoteia, cria ligas e se desliga, de acordo com seu mais recente interesse, destrói sentimentos.

Em contrapartida, usando palavras, sensibilizamos.

Da união das palavras, nasce a poesia, a prece a letra da melodia.

Com palavras fazemos o outro chorar ou sorrir.

Através das palavras, homens e mulheres dedicados ao ensino, transmitem conhecimento.

Homens e mulheres da lei, através das palavras libertam comparsas, são complacentes, tanto quanto julgam e condenam inocentes.

E em meio a isso tudo eu me perguntei: como tenho usado as palavras?
Como as pessoas tem se utilizado deste poderoso meio de comunicação?

O que tem saído de nossos lábios são palavras que constrói, soma ou destrói ?

Temos usado nosso poder da fala para acolher, compreender ou estamos usando este super- poder para julgar, zombar ou preconceituar ?

Gosto da palavra coragem, mais que uma palavra, coragem é um sentimento, uma atitude, um impulso, que buscamos sentir em determinadas épocas da vida, outros a buscam por toda a vida.

Coragem de romper um relacionamento doentio.
Coragem de buscar um novo emprego
Coragem de pular de bungee-jump
Coragem de vencer desafios
Coragem de quebrar paradigmas

Por mais absurdo que possa parecer,coragem de se amar
Coragem de enfrentar obstáculos
Coragem para abandonar um vício
Coragem de expressar o pensamento
Coragem de lutar pelos seus direitos
Coragem de enfrentar uma doença

Mas de todas as designações sobre a coragem ,a que mais me agrada é :cor (de coração) e agem (de agir)
Agir com o coração.
Será que estamos refletindo antes de falar?
Será que estamos tendo o cuidado ao falar para não ferir as pessoas ?

Será que muito do que nos acontece de ruim não tem sua origem na forma como estamos nos expressando?

Sei lá... vale a pena pensar...


--

*Isolda Risso é pedagoga por formação, coach, cronista, retratista do cotidiano, empresária, mãe, aprendiz da vida, viajante no tempo, um Ser em permanente evolução. Uma de suas fontes prediletas é a Arte. Desde muito cedo Isolda busca nos livros e na Filosofia um meio de entender a si, como forma de poder sentir-se mais à vontade na própria pele. Ela acredita que o Ser humano traz amarras milenares nas células e só por meio do conhecimento, iniciando pelo autoconhecimento, é possível transformar as amarras em andorinhas libertadoras.

Comentários no Facebook

Redes Sociais

Sitevip Internet