Olhar Conceito

Domingo, 20 de janeiro de 2019

Notícias / Política Cultural

Com ponto de arrecadação no Pantanal Shopping, 'Natal sem Fome' espera arrecadar 2 mil toneladas de alimentos

Da Redação - Isabela Mercuri

17 Dez 2018 - 15:09

Foto: Reprodução

Com ponto de arrecadação no Pantanal Shopping, 'Natal sem Fome' espera arrecadar 2 mil toneladas de alimentos
Com o objetivo de entregar cestas básicas a mais de cinquenta mil famílias, o projeto ‘Natal sem Fome’ arrecada alimentos não perecíveis no Pantanal Shopping, em Cuiabá, até a próxima quinta-feira (20). Em 2017, foram arrecadadas 100 toneladas em todos os centros comerciais da Ancar Ivanhoe.

Leia também:
Grupo convoca voluntários para realizar ceia de Natal para moradores em situação de rua

Neste ano, o tema da campanha, realizada pelo Ação Cidadania, é "A fome não é fake". Nascido em 1993 e formando uma imensa rede de mobilização de alcance nacional para ajudar 32 milhões de brasileiros que, segundo dados do Ipea, estavam abaixo da linha da pobreza na época, o movimento social tem como conceito: solidariedade, todos nós podemos.

Entre 1993 e 2005 foram arrecadadas 30.351 toneladas de alimentos em todo o Brasil, beneficiando 3.035.127 famílias. Entre 2006 e 2010 foram distribuídos 2.300.000 brinquedos e 500.000 livros em todo o país.

De acordo com a assessoria, o objetivo da ação é arrecadar a maior quantidade possível de cestas básicas e entregar esses alimentos no Natal às mais de 50 mil famílias cadastradas nos comitês da Ação da Cidadania em 18 estados do Brasil. Ao todo, a meta de arrecadação nacional para o movimento idealizado pelo sociólogo Herbert de Souza, o Betinho, será de duas mil toneladas de alimentos não perecíveis.

As arrecadações acontecem em 19 empreendimento do grupo, em shoppings de todo o Brasil, ou através do site www.natalsemfome.org.br. A entrega dos alimentos será feita nos dias 21, 22 e 23 de dezembro em todos os estados participantes através da rede de comitês da Ação da Cidadania em todo o país, fazendo o alimento chegar a centenas de milhares de famílias em situação de insegurança alimentar.

Pelo terceiro ano consecutivo, a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) anunciou um aumento no número de pessoas que sofrem de fome. No caso da América Latina e do Caribe, 39,3 milhões de pessoas vivem subalimentadas na região, um aumento de 400 mil pessoas desde 2016.
 
Segundo O Estado da Segurança Alimentar e Nutrição no Mundo 2018 (SOFI), em nível mundial quase 821 milhões de pessoas - cerca de uma em cada nove – foram vítimas da fome em 2017, um aumento de 17 milhões em relação ao ano anterior.
 
De acordo com José Graciano da Silva, diretor-geral da FAO, dados recentes divulgados pela Pnad Contínua, do IBGE, entretanto, sinalizam um aumento da extrema pobreza no país em cerca de 11% de 2016 para 2017 (de 13,3 para 14,8 milhões de pessoas). Tal incremento da pobreza extrema poderá, sim, refletir no aumento do número de pessoas que passam fome no país.

2 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Conceito. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Conceito poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • sem paciência
    18 Dez 2018 às 15:18

    como se TODAS AS PESSOAS DO BRASIL tivessem as mesmas oportunidades que o Juracy teve. Brasileiro tipo ele deveria aprender olhar além da bolha de privilégios que vive ao invés de ficar prestando o desserviço de ficar adubando site de notícias com preconceito social.

  • Juracy Ady
    17 Dez 2018 às 15:51

    Vão trabalhar. Brasileiro só sabe pedir!

Redes Sociais

Sitevip Internet